REQUISIÇÃO de SEGURANÇA e VIGILÂNCIA à POLÍCIA FEDERAL

Publicado em Comunicados

Relatório de contas à POLÍCIA FEDERAL.  E requisição à POLÍCIA FEDERAL dos desempenhos imediatos de operações de SEGURANÇA e VIGILÂNCIA para o cidadão Celio Ferreira. 


estes dias, a qual é usada como “livro didático” em cursos de doutorado por renomadas universidades lá de fora, sob o reconhecimento de que: “depois dos Dez Mandamentos é a Carta Dogmática mais abrangente e profunda que o Constitucionalismo produziu,” porém, aqui, na minha nação, ela foi transformada numa agenda de anotações da bandidagem comunista fundamentalista terrorista no poder, que a substituíram por bandidos escondidos atrás de mandatos inventando leis, para bandidos escondidos atrás da toga manter o terrorismo acordado como sistema de poder, com a Polícia Federal “combatendo corrupção, lavagem de dinheiro, desvios de verbas públicas e crime organizado” CHEFIADA PELO MELIANTE COMUNISTA TERRORISTA MICHEL TEMER, em flagrante delito de esbulho da Instituição da Presidência da República e usurpação do respectivo cargo, que deveria já estar preso por ela desde que o Tribunal Superior Eleitoral ARQUIVOU a “ação de cassação do mandato Dilma/Temer por não haver mandato para ser cassado, mas sim, ser uma quadrilha de bandidos em usurpação à Instituição da Presidência da República.”  Situação que tipifica a Polícia Federal como linha de frente das corporações terrorista na tirania oligárquica comunista fundamentalista transnacional corporativa terrorista de bandidos que mantém a nação brasileira sob estado de guerra convulsional terrorista de massacre, na qual mais de 5 milhões de pessoas já foram exterminadas, sem que a Policia Federal tenha, ao menos, esbouçado a instauração do PERSECUTÓRIO INSTITUCIONAL DE ESTADO que, como INSTITUIÇÃO REPRESSIVA MAIS VIBRANTE DO PODER DE COAÇÃO DO ESTADO FEDERATIVO, tinha de ter instaurado ex-offício desde que o corpo de delito do País demonstrado pela “Operação Lava Jato” e as demais que se seguiram a ela, tipificou: RAZÃO DE ESTADO, CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, ASSALTO AO PODER PELO FORO DE SÃO PAULO, FALÊNCIA DOLOSA DO PAÍS COMO ESTRATÉGIA DA SUA ESCRAVISAÇÃO AO TOTALITARISMO, e CAOS SOCIAL. Mas, na mesma situação está a Procuradoria-Geral da República com Raquel Dodge escolhida e nomeada da mesma forma que Fernando Segovia; da mesma forma está o Supremo Tribunal Federal com Alexandre Morais (docente em direito do estado); da mesma forma estão as Forças Armadas comandadas por capachos de bandidossustentados por esmolas que comem na mão de Dilma.” Diante do que, o POVO BRASILEIRO se vê sem foro de socorro no Regime, porque, em qualquer poder ou instituição, perante qualquer autoridade, peticiona ao próprio bandido ou a protetor dele; como o POVO ESTÁ AGORA, PELO CIDADÃO QUE O ENCARNA NA CONSTITUIÇÃO, PERANTE A POLÍCIA FEDERAL, SEM TER VIA DE RECEPÇÃO À SUA INVOCAÇÃO EM SEDE DE PROCESSO HISTÓRICO NO FOR DE SOBERANIA, porque, ou não reconhece o Diretor-Geral Fernando Segovia e ai APENAS PODE PREVENIR SUA REAÇÃO DE LEGÍTIMA DEFESA PELO DESFORÇO PRÓPRIO CONTRA A BANDIDAGEM COMUNISTA TERRORISTA QUE O ATACA, incluindo nele a própria Polícia Federal, ou queda-se ao holocausto PETICIONANDO À PROPRIA BANDIDAGEM QUE O MASSACRA NAS SUA LINHAS DE FRENTE. Pois, não milita em favor dos efetivos da Polícia Federal, da Procuradoria-Geral da República, do Supremo Tribunal Federal a presunção de ignorância cultural ao ponto de não terem lido no “direito do estado” à definição universal do Direito Apenatório que a ENSINA:Quem, de qualquer modo se associa a criminoso ou à quadrilha de bandidos se faz parte nos crimes por ela praticados.” Ou não foi a Polícia Federal que enquadrou Michel Temer em vários persecutórios dentre os quais ele já responde a duas ações penais? Daí, sendo insensato admitir-se ignorância de preparo policial, a Polícia Federal resulta em atentado terrorista contra o dogma da dignidade humana instituído no art. 1º inc. III e Parág. único com o art. 5º caput e incs. VI,VI,VIII,IX,X da Constituição, tipificada como uma corporação terrorista avançada da tirania oligárquica comunista fundamentalista transnacional corporativa terrorista de bandidos operando o estado de guerra convulsional terrorista de massacre da nação. De cuja situação o POVO EMERGE EM FORO DE SOBERANIA INVESTIDO DA AUTO DEFESA DA CONSTITUIÇÃO E LEGÍTIMA DEFESA SOCIAL, POLÍTICA, ECONÔMICA E HISTÓRICA DA NAÇÃO CONTRA A POLÍCIA FEDERAL. MATERIALIZANDO-SE O ESTADO DE GUERRA CIVIL INCONTORNAVEL QUE O POVO, PELO DESFORÇO PRÓPRIO ACEITOU E JÁ ENFRENTA COM A SUA FORÇA DOS CAMINHONEIROS, MOTORISTAS E TRANSPORTADORES JÁ À CAMPO, COM SUA FORÇA DE PRODUÇÃO AGRÍCOLA PRONTA PARA ENTRAR EM AÇÃO E A SUA FORÇA RÉPROBA PRODUZIDA PELA POLÍCIA FEDERAL E TRANSFORMADA EM CHACAIS SEDENTOS DE JUSTIÇA, DE RESERVA NAS PENITENCIÁRIAS. Segundo a lição que a Polícia Federal tem de saber na ponta da língua: “Para tirar os bandidos da rua, se tem de tirar do poder, aqueles que, nas respectivas investiduras de autoridade, produzem a degeneração moral que os gera.” E que degeneração moral maior do que um POLICIAL SUBMETIDO, ESCOLHIDO, NOMEADO E EMPOSSADO PELO BANDIDO QUE ELE APRESENTOU À CONDENAÇÃO PELA JUSTIÇA? Além do que é NATO DA ESPÉCIE HUMANA que: A VOCAÇÃO POLICIAL NÃO COMPORTA HOMENS MEIO PAU DA ESPECIE EM QUE RESULTAM SEUS EFETIVOS AI CHEFIADOS, SUBMETIDOS E USADOS PELOS MESMOS BANDIDOS QUE ELES APRESENTAM À JUSTIÇA PÚBLICA, na implantação do “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil Em 22 Anos” pelo espetáculo da briga das gangues e quadrilhas entre si no inventário do País como despojo das urnas, que reinstalam de dois em dois anos pela modalidade de: “bases parlamentares,” “governo participativo,” “coalisões políticas,” “acordos de governabilidade;” “acordos de lideranças,” “acordos suprapartidários.” E assim, além de se impor o POSTULATORIO PEDAGÓGICO, não exegético de sustentações de rodapé, e sim, de autoridade de cátedras, conhecimento de causa e domínio da vida civilizada sustentado no corpo de delito do País como produto do tipo de escolaridade dos respectivos efetivos e hostes do poder, e se acresce do apodrecimento ideológico do arcabouço institucional do Pais, obrigando o povo a ESTADO DE CONFRONTO com os efetivos que esbulham as instituições,  no qual não sobra ninguém constitucionalmente abrigado pelo POVO na Constituição. Pois, como a Polícia Federal está exposta no repugnante papel de capachos de bandidos, entretendo o povo sequestrado em seus lares e locais de trabalho à dizimação pelo terrorismo do medo, insegurança pública, insegurança jurídica, insegurança econômica e insegurança nacional, com “Operação Lava Jato” e demais espetáculos de mídia enquanto a bandidagem comunista terrorista consolida a tirania oligárquica comunista fundamentalista transnacional corporativa terrorista de bandidos, a Procuradoria-Geral da República e o Supremo Tribunal Federal se somam com ela no crime organizado n o governo, operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras. E daí, os 638 mil homens amontoados ao extermínio pela tortura penitenciária que os transformou em chacais, RESULTAM TÃO APROPRIADOS AO SOCORRO DA NAÇÃO QUANTO SEUS EFETIVOS DE SEGURANÇA PÚBLICA COMPOSTOS DE BANDIDOS.  Entretanto, Celio Evangelista Ferreira do Nascimento signatário no POVO deste ato de exercício direto do poder é testemunha no campo de desempenhos da Polícia Federal, da sua hombridade, competência, magistralidade, nobreza, patriotismo e intocabilidade moral, desde a década de 1970 quando, com as Forças Armadas no poder, ajudava construir as bases do “Brasil Mega Potência do Mundo,” que, pelo “Ideário da Revolução de 64passaria, como está passando por esta situação que a bandidagem comunista terrorista recolhida à baderna política para se auto expurgarem da civilização brasileira pelo suicídio de poder, instalariam, como instalaram o País neste composto medonho de insensatez, incoerência, irresponsabilidade e ausência total lucidez e racionalidade, ao ponto do poder estar raciocinando pelo ânus e defecando pelo cérebro desde que o meliante Luiz Inácio Lula da Silva está em campanha para Presidente do Brasil, tendo por razão disso e projeto político a executar no governo, a sentença de 240 laudas que o condena a mais de 9 anos de cadeia como ladrão do País e marginal da pior espécie.

     Então essa situação que deixa o POVO sem INSTITUIÇÕES de socorro, porque transforma os EFETIVOS delas em FORÇA DE MASSACRE DA NAÇÃO da BANDIDAGEM COMUNISTA TERRORISTA é a estratégia do “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil Em 22 Anos que instala o POVO em estado de auto defesa da Constituição, porque esta resulta violentada na extinção de eficácia do Estado Democrático de Direito na  fusão do poder político com a força militar no mandato/patentes do Presidente da República que o Tribunal Superior Eleitoral declarou inexistente e deixa Michel Miguel Elias Temer Lúlia em flagrante na prática dos crimes de alçada da Polícia Federal de esbulho da Instituição da Presidência da República e usurpação do cargo de Presidente da República, em formação de corporação quadrilheira terrorista com os  Senadores, os Deputados Federais, os Ministros do Supremo Tribunal Federal e o Procurador Geral da República em composição rotativa, materializando o confronto com a POLÍCIA FEDERAL como linha de frente da bandidagem comunista terrorista no estado de guerra convulsional terrorista de massacre da nação, contra o qual, o POVO está preservado em poder constituinte na Constituição, com a REAÇÃO DE CIDADANIA pela INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO, vez que, no corpo de delito do País exposto pela atuação espetacular embusteira da Polícia Federal  com a Procuradoria Geral da República, estão presentes a: RAZÃO DE ESTADO; a CRISE INSTITCIONAL DE ESTADO PELO ASSALTO AO PODER FEITO PELO FORO DE SÃO PAULO com INSTITUTO LULA, JOSÉ DIAS TOFFOLI e PROCURADORIA GERAL ELEITORAL; a FALÊNCIA DO PAIS e CAOS SOCIAL, e, o APARELHO REPRESSOR  do Estado está submetido à bandidagem comunista terrorista como o próprio Estado está substituído pela tirania oligárquica comunista fundamentalista transnacional terrorista de bandidos. Resultando exposto que o POVO e a POLÍCIA FEDERAL são vítimas comuns, erigido um contra o outro, para se extinguirem ambos: o POVO se extinguir como poder constituinte de auto socorro da Constituição e de legitima defesa social da nação, e a POLÍCIA FEDERAL se extinguir como “MINISTROS DE DEUS ARMADOS DO PODER DE COAÇÃO DA UNIÃO CONTRA A BANDIDAGEM TERRORISTA.” E a civilização brasileira resultar um composto irracional de uma minoria de brutos, psicopatas, esquizofrênicos, desajustados, mentecaptos, alienados, analfabetos, mentirosos, covardes, irresponsáveis, cafajestes, vadios, marginais e mefíticos de toda a espécie submetendo a nação dona da Pátria porque constrói pela iniciativa privada o que defender nela.

      Eis porque, um requerimentinho de 5 linhas demanda uma exposição de várias laudas, e assim mesmo, os “doutores” se saem pelas sapiências de investiduras fundados no “direito encontrado na rua” e amparados na vitaliciedade ou estabilidade do aninhamento nos cofres públicos. Situação que vai se acabar após o dia 29.12.2017, quando o Magistrado de Estado será o protótipo do sacerdócio da vida pública na civilização brasileira, que se identificará em todos os graus mandatários, de investiduras, cargos e funções por: HOMBRIDADE-COMPETÊNCIA-ISENSÃO.  Porquanto, o Estado será reconstruído pelo CUSTO/BENEFÍCIO. E nessa ÓRBITA DA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA o bom senso, a racionalidade sadia não admite que um policial, cuja identificação vocacional é a ÍNDOLE DIVINA CONTRA O BANDITISMO, como a Doutrina Cristã que produziu a civilização brasileira ensina: “O Policial não carrega arma para enfeite, mas, porque é MINISTRO DE DEUS contra os maus,”doutor em Direito” não saiba ler a Constituição que o institui; ou tenha o desprovimento de dignidade humana diante da nação e de si, de se fazer “Diretor da Polícia Federal” nem indicado pelos seus pares, mas, selecionado pelo BANDIDO TERRORISTA MENTOR, CHEFE E PRINCIPAL BENEFÍCIÁRIO DO ROUBO DO PAÍS, MASSACRE DA NAÇÃO E DESTRUIÇÃO DA PÁTRIA, POR ELE NOMEADO E POR ELE EMPOSSADO NO ESBULHO TERRORISTA DO CARGO. É isto que o Ministro Gilmar Mendes está mostrando com a sua conduta no corpo de delito do País que a Policia Federal não pode enxergar na situação em que está, que a ordem jurídica e o regime democrático se acabaram, substituídos pelo crime organizado no governo em todo o esbulho institucional do País, com a titularidade das instituições substituída pela fidelidade no gangsterismo que mantém a bandidagem terrorista no poder. Donde resulta o POVO na situação de escolher entre a bandidagem de campo que está armada e sedenta da bandidagem no poder, e esta que não dá sinal de que irá aliviar o massacre que instalou e comanda. Ou, qual é a diferença legal, moral e racional de um policial escolhido, nomeado e empossado por bandidos no poder e dos bandidos de campo que são produzidos por eles? Ou a Polícia Federal invocará “ausência de estrutura institucional para agir?” Então, resulta instalado o estado de massacre terrorista da nação em todos os campos do existencialismo nacional, de parte da Polícia Federal inserida na: 1. Bandidagem vagabunda no poder alojados nos cofres públicos e distribuídos no PMDB, PTB, PDT, PT, PSB, PPL, PSDB, PTC, PSC, PMN, PRP, PPS, PV, PCB, PBC, PT do B, PPL, PR, PSTU, PRTB, PHS, PSDC, PCO, PTN, PSC, PRB, PSL, PR, PSD, PROS, SP, PMB, DEM, PC do B, PP, PCB, PRTB e REDE supridos pelos “especialistas,” “intermediadores,”negociadores” e “mefíticos” de toda a espécie, que estão espalhados por todo o tecido institucional e todas estruturas operacionais da República e iniciativa  privada; 2. bandidagem terrorista transnacional, alojados no “projeto Pátria Grande” e distribuídos pela URSAL, UNASUL, URC, ESAD, G-20, BRICS, FAO, OTSC, CEI, OCS, ECVCNB, no MST, CUT, MSTA, CEMIG, CONTAG, Via Campesina, MLST, MAB, MIR, ELN, EZ, APINB, ARPIN-Sul, COIAB, APOINME, CIR, ABA, IEB, CTI, CUIA, Sindicatos, Hamas, Taleban, Al Qaeda, Jihads, Hesbollah, Boko-Haran, Al Shebab, Estado Islâmico; 3. bandidagem de campo alojados no “fome zero” e criminalidade quadrilheira, distribuídos pelo PCC, CV, FDN, TCC, CRBC, CDL, SS, DCMS, TC, ADA, IDI, AJ, AD, B.dos 40; PCN; ER; 300 Esp.; PCM; ERam; B. dos 300; CC; GDA; PCM; BI; PGE; B. dos 40; ADM; COM; B.dos 300M; PCM2; PCE; CP; BM; KATIARA; CPr; CAVEIRA;  CMO; PJ; PCMpr; PCMG; MP; PI; PCU; CJUC; GF, CDLcr, PGC2, PCRV, CL, SN, SC,PL, PGO, FRC, BC, OS TAURAS, V.7, O.S.A.l, U.P.P, C.P.C, A.L, P.C.Pr, P.C.L.ms, D.G, BPj, B.C.cuia, C.V.mt, A.L.ro, C.P.ro, B. dos 13; 3º CP; Carecas do ABC; Comando da Paz; CRBC, Máfia do Lixo, Esquadrão da Morte. Assistidos pela Depen, “Pastoral Carcerária, ” outros serviços religiosos e ONGS; 4. bandidagem empresarial terrorista distribuídos em: Odebrecht, OAS, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, UTC Engenharia, Camargo Correia, Engevix, Brf Brasil Founds S.A, Seara Alimentos S.A, JJZ Alimentos S.A, Madero Ind. Com. S.A, Touyo Setel Engenharia,  Mendes Júnior Trading E. S.A, Anglo, Swit Bck, J&F, Vigor, Flora, Canal Rural, Banco Original, Cabana Los Lilas, Armour, Pite, Aspen Ridge, King Island, Moy Park La Herencia, Pibgrins Pride, EPE, Havan,  FRIBOI, JBS, BNDES, TV GLOBO, dentre outras. Como o corpo de delito do País registra e está espelhado pelas: “Operação Lava Jato,” “Operação Carne Fraca,” “Operação Catilinária,” Operação Castelo de Areia,” “Operação Patmos,” Operação Boca Livre“, "Operação Recomeço,” Operação Turbulência,” “Operação Acrônimos,” Operação Zelote,” “Operação Custo Brasil,” “Operação Lucas.” Em cujo contexto,

     Com este PREÂMBULO exigido pelo art. 1º incs. II,III e Parág. único com o art. 5º caput e incs. VI,VI,VIII,IX,X da Constituição, para resolver em grau de preliminar de inexistência do socorro de Segurança Pública buscado, que erige a nação em estado de auto defesa da Constituição e em legítima defesa social, política, econômica e histórica,

    O POVO BRASILEIRO formado pela tríade constituinte originária: Nação-Território-Soberania, autoproclamado no Preâmbulo da Constituição em Poder Constituinte, denominado nela de cidadania, pelo qual se institui em Estado Democrático de Direito no art. 1º caput e incs. I,II e Parágrafo único, com o art. 4º incs. I,III da Constituição, e se constitui em Ente Político de civilização, distribuído em organização federativa pela mesma, através das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; bifurcado em: a) poder político constitucional rotativo indireto nos partidos políticos no art. 1º incs. II,V e Parág. único, com o art. 14 incs. e §§ e art. 17 incs. e §§, art. 27 § 1º, art. 28, art. 29 inc. II, art. 46, o art. 76, e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Mandatário composto do Presidente e Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado Federal e Presidente do STF; b) força militar constituinte permanente direta, formada das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III, o art. 84 incs. XIII, e o art. 142 com o art. 91 inc. VIII da Constituição, no Colegiado Constituinte, composto dos Comandantes Superiores da Marinha, Exército e Aeronáutica; com personalidade jurídica instituída no art. 2º e arts. 18, 20, 21, 22 da Constituição, na UNIÃO FEDERAL, CNPJ nº 26.994.558/0001-23 e/ou 03.566.2312/000155, sediada no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, e/ou Advocacia-Geral da União, Brasília/DF,

      em FORO DE SOBERANIA pelo exercício direto do poder nos termos do art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. I, II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art. 37 caput, o art. 84 inc. XIII, com o art. 142 e o art. 80 com o art. 91 inc. VIII, mais o art. 144 caput e inc. I, § 1º, da Constituição, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, com o Decreto n. 5.639 de 26.12.2005, e o Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, face estar presente no corpo de delito do País a RAZÃO DE ESTADO, CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, ASSALTO AO PODER PELO FORO DE SÃO PAULO, FALÊNCIA DO PAIS e CAOS SOCIAL, que rompeu o Estado Democrático de Direito na fusão do voto com a bala no mandato-patentes de Presidente da República e extinguiu eficácia à Magistratura de Estado desprovendo o Processo Histórico de regência institutiva e dando emersão ao povo em reação de cidadania como equipamento constituinte de autodefesa da constituição e de legítima defesa social, política, econômica e histórica da nação, instrumentalizado com a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO, instaurada, recebida, aceita e homologada pelos poderes constitucionais, instituições e entidades públicas, no procedimento constante dos PROTOCOLOS: STF Pet 142098/08.10.2008, STF 0038341, 29.2.2012, PR CODIN/POT/19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SFCFA 117.419 29.02012 30.05.2012DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59 –  COGER/DPF; 08200.008079/2013-0308200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-R 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 07443 /201400007787/2014 R 02.05.2013; MPF/MS- 0000744/20 14; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 000 07 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/ MS 335.005016/2013-61 28.01.2013; PO 1300820-7.2.2013/ACFA: 443 /201400007787/2014A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198- 30.9.13; SPF 08335,006262/ 2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, PGR 10058/2014. STF SF 82200437/2014; STF PE 6197258220; ACFA PE 513259353JH; STF PE 513269996JH; STF PE 619725820JH; PRM-CAC-PR 10058/2014; PR PRM-CAC-PR 00010318/2014, para: RECUPERAR A SUA VOCAÇÃO DE LIBERDADE; RESTAURAR O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO; RESTABELECER A UNIDADE DA NAÇÃO; REENCAMINHAR O PAIS PARA O TRABALHO  e RECONSTRUIR A SOBERANIA DO BRASIL;

     estando constitucionalmente instaurada a execução da INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO junto aos poderes constitucionais e Procuradoria-Geral da República perante o Supremo Tribunal Federal em sua investidura de Corte Constituinte transformada em corporação terrorista na tirania oligárquica comunista fundamentalista transnacional corporativa terrorista de bandidos, e por isso, substituída na Constituição pelo Superior Tribunal Militar;

    pelo cidadão Celio Evangelista Ferreira do Nascimento, brasileiro, jurista, título de cidadania outorgado pelo art. 14 inc. II, b, da Constituição, cadastro eleitoral nº 0038.4759.0647/Brasília-DF, filiação partidária 011745991910/PMDB, CPF nº 198.285.009-49, RG 788947/MS, endereço operacional no Quartel General do Exército – SMU, Brasília/DF;  endereço de expedientes: telefone 61 98238-24.15, neste ATO INSTITUCIONAL DE CIDADANIA

 DECLARA, NO EXERCÍCIO DIRETO DO PODER, O MELIANTE TERRORISTA MICHEL MIGUEL
ELIAS TEMER LÚLIA EM ESBULHO DO COMANDO E CHEFIA DA POLÍCIA FEDERAL SEM TÍ-
TULO CONSTITUCIONAL PARA ISSO, EM VIRTUDE DO QUE, ASSUME A POLÍCIA FEDERAL
PARA RECUPERAÇÃO ORGÂNICA FUTURA, E, NO ESTADO EM QUE ELA ESTÁ A INSTAU-
RA COMO FORÇA CONSTITUCIONAL ORGANIZADA NO SEU DESFORÇO DE AUTO DEFESA
DA CONSTITUIÇÃO E DE LEGÍTIMA DEFESA SOCIAL DA NAÇÃO, NA INTERVENÇÃO CONS
TITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO, INTEGRADA COM OS CAMINHONEIROS, MOTORIS-
TAS E TRANSPORTADORES DO BRASIL NO CERCO AO PAÍS PARA A POSSE DO CIDADÃO
CELIO EVANGELISTA FERREIRA DO NASCIMENTO NO CARGO DE PRESIDENTE DA REPÚ-
BLICA VAGO DESDE O DIA 1º DE JANEIRO DE 2.015, NO DIA 29 DE DEZEMBRO DE 2.017, PA
RA O DESEMPENHO AQUI REQUISITADO COM AS OPERAÇÕES IMEDIATAS, A SEGUIR:

  1. SEGURANÇA PESSOAL do cidadão Celio Evangelista Ferreira do Nascimento na cidade de Brasília/DF, com vigilância na sede do Comando da Intervenção no endereço civil fornecido em anexo; e nela, levantar e identificar todos os promotores da campanha de “currículos e vida pregressa ” sustentada sobre o mesmo, porque os antecedentes históricos dos empreendimentos facínoras de eliminações de homens públicos nesta esfera foram montadas assim, por mefíticos autoproclamados como autores e líderes da causa patrocinada e sustentada pela vítima; como está ocorrendo com Celio Evangelista Ferreira do Nascimento que é o autor e responsável no povo pela sua reação de cidadania pela INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO, desde 1.987 quando, desempenhando missão das Forças Armadas, ajudou construir o mecanismo na Constituição, que lhe coube executar a partir de 2.004; incluindo os efetivos jornalísticos da Imprensa nacional como suspeitos de linha de frente do banditismo comunista terrorista, indiciados pelo combate vigoroso que sustentam contra Celio Evangelista Ferreira do Nascimento, as Forças Armadas, a Polícia Federal, as Policias Militares e as Policias Civis, sob desassombrada cobertura, ora, por publicidade mentirosa, ora pelo silêncio e supressão da informação, ora por manipulação da opinião pública em favor da tirania oligárquica comunista fundamen -talista transnacional corporativa terrorista de bandidos. Nomina nas linhas de ataque infiltrado do terrorismo à esclarecimento: Marcia M. Mucke; José Matos; Felipe Oliveira; Roseli Matos; Marcelo Vanuci Moreira; Debora Berger; Benedito Fernandes; Eliana Pass; Marlene Waleckeski; Vinicius Gomes Tec Eletrôica; Vilmar José Fernandes; Mario Gallo Junior; Edy Arilva Quintino; Ines de Siracusa; Teresa Testani; Cristina Peviani, empenhados com campanhas execratórias contra o mesmo, expondo-o por currículos e vida pregressa que ele desconhece; endereços no facebook.
  2. SEGURANÇA INTEGRADA DE POLICIAIS EQUIPADOS, COM OS CAMINHONEIROS, MOTORISTAS E TRANSPORTADORES nos cercos estratégicos físicos onde haja necessidade da paralização do transporte feita pela presença ostensiva deles.
  1. SEGURANÇA INTEGRADA DE POLICIAIS EQUIPADOS, COM OS AGRICULTORES nos cercos estratégicos físicos onde haja necessidade da presença destes com suas máquinas e implementos somados com os caminhoneiros.
  2. SEGURANÇA INTEGRADA DE POLICIAIS EQUIPADOS, COM OS CAMINHONEIROS, MOTORISTAS, TRANSPORTADORES, AGRICULTORES COM SUAS MÁQUINAS, E COM OS ÔNIBUS, COMBOIOS E CARAVANAS DA POPULAÇÃO no deslocamento à Brasília/DF, a partir do dia 26 de dezembro de 2.017 para a Assembleia Interventorial Constituinte no Congresso Nacional de posse do cidadão Celio Evangelista Ferreira do Nascimento no cargo de Presidente da República no dia 29.12.2017, para cujo evento de reação de cidadania pela Pátria, a nação se auto hospedará na Praça dos Três Poderes na cidade de Brasília/DF.
  3. SEGURANÇA INTEGRADA DE POLICIAIS EQUIPADOS, COM OS AGENTES PENITENCIÁ- RIOS E POLÍCIAS MILITARES E CIVIS se o Comando da Intervenção constatar necessidade da força antidota composta da população em massacre pela tortura terrorista nas masmorras prisionais onde essas pessoas, em nada piores do que Michel Miguel Elias Temer Lúlia e dos que com ele se agregam na Polícia Federal, Procuradoria Geral da República, Supremo Tribunal Federal, Comandos das Forças Armadas, na Câmara dos Deputados e Senado Federal que os produziram no crime organizado no governo, operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras na prática do roubo do País, massacre da Nação e destruição da Pátria, por bandidos escondidos atrás de mandatos inventando leis, para bandidos escondidos atrás da toga manter o terrorismo acordado como sistema de poder e a corrupção e roubo partilhado como forma de governo, bem mostrado pelo corpo de delito do País espelhado pela “Operação Lava Jato” e demais arrojo persecutório patriótico da Polícia Federal e alguns Procuradores da República.

     SUPRIMENTO DE CUSTEIO:

     Para o custeio das despesas, incluindo a reparação moral à nação vítima em seus policiais, que foi instituída pela própria bandidagem comunista terrorista no poder com suas leis 8.878/94 e 10.559/2002, o POVO NO EXERCÍCIO DIRETO DO PODER, institui junto ao Tesouro Nacional a verba de R$ 250.000.000,00 (duzentos e cinquenta milhões) para ser levantada diretamente pela Polícia Federal junto à iniciativa privada, na forma de contribuições por recibos/bônus a resgate pelo Tesouro Nacional, para a INTERVENÇÃO DO POVO NO PROCESSO HISTÓRICO que tem por objeto: a recuperação da Lei e da Ordem com a restauração das instituições, da paz social, da segurança, saúde e educação; o reencaminhamento do País para o trabalho reintegrando a força empresarial ao progresso e a força de trabalho ao emprego, que demanda: a) reintegração da Instituição da Presidência da República à União; b) prisão do meliante Michel Miguel Elias Temer Lúlia e respectiva quadrilha que a esbulham; 3) posse no cargo de Presidente da República vago desde o dia 1º de janeiro de 2.015, do cidadão Celio Evangelista Ferreira do Nascimento, a serem restituídas pelo Tesouro Nacional à Conta Custos Políticos de Construção da Democracia Constitucionalista, com efeito retroativo contra a bandidagem comunista fundamentalista terrorista que faliram o Pais e submetem o povo brasileiro à estado de guerra convulsional terrorista de massacre da nação.

     Os recibos/bônus no modelo anexo serão emitidos pelo POVO no cidadão Celio Evangelista Ferreira do Nascimento ou em quem este expressamente indicar, ao manuseio pela Polícia Federal ao fim destinado, e serão apresentados a resgata ao Tesouro Nacional pelo mesmo, no procedimento constitucional respectivo.                           

      SUPORTE INSTITUCIONAL ESPECÍFICO.

     A Polícia Federal não é instituição de governo e sim, ÓRGÃO PERMANENTE DA UNIÃO, instituído por lei recepcionada pela Constituição. Diferencia-se das Forças Armadas quanto à origem e à destinação. Estas são constituídas por si mesmas na tríade originária da vida civilizada organizada por Estado: Nação-Território-Soberania que forma o povo ou poder constituinte que promulga a Constituição. Por isto a Constituição não as institui, mas, apenas as reconhece instituições nacionais permanentes e regulares de existência espontânea. Aquela é derivada instituída que lhe dava presença no poder de coação do Estado que a Constituição restaurou com a nova composição dogmática que lhe deu.

     As Forças Armadas são originárias no povo constituídas pela Nação-Território-Soberania. Enquanto esta tríade existir, existe o povo brasileiro e nele, as Forças Armadas. E estão para o povo como o revolver está para a pessoa que o porta. Isto é, não são poder e são desprovidas, em si, de poder. O poder das Forças Armadas é o povo como está no art. 1º incs. I,II e Parág. único com o art. 4º inc. I,III, o art. 84 inc. XIII e o art. 142 da Constituição. A hierarquia das Forças Armadas não é absoluta, mas limita-se nas patentes mandatárias fundidas no mandato de Presidente da República, em cuja fusão se assenta o Estado Democrático de Direito dando promoção ao Processo Histórico pela Magistratura de Estado na Instituição da Presidência da República. Assim, quando, por razão de Estado ou por crise institucional de Estado rompe-se o Estado Democrático de Direito na fusão do voto com a bala no mandato/patentes do Presidente da República, emerge o POVO EM FORO DE SOBERANIA NO COMANDO SUPEMO E AUTRIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS EM AUTO DEFESA DA CONSTITUIÇÃO. Ou seja, o poder constituinte preservado no poder constitucional rompe da traição na representação mandatária restabelecendo fluxo constitucional ao Processo Histórico.

     A Polícia Federal é o poder de coação da União personalizada no Estado Democrático de Direito. Como poder de coação da União, ela equipa a Magistratura Federal, a Justiça Eleitoral, o Superior Tribunal de Justiça, e o Supremo Tribunal Federal de exequibilidade coativa às respectivas decisões, como, aliás, está no art. 144 § 1º inc. IV da Constituição. E integra o POVO EM SUAS REAÇÕES DE CIDADANIA COMO EQUIPAMENTO DE AUTO DEFESA DA CONSTITUIÇÃO no art. 1º incs. I,II e Parág. único com o art. 3º incs. I/IV, o art. 4º incs. II, VIII e art. 5º caput da Constituição. Porquanto, a União é o POVO BRASILEIRO personificado pelo seu ENTE FEDERATIVO de Administração, Legislação e Justiça, como uma sociedade empresarial se personifica pela sua empresa. Então, se as Forças Armadas são o POVO EM PODER CONSTITUINTE, a Polícia Federal É o POVO EM PODER CONSTITUCIONAL. Ambas, então, estão sob o COMANDO CONSTITUINTE DO POVO. É por onde o POVO EM REAÇÃO DE CIDADANIA pela INTERVENÇÃO NO PROCESSO HISTÓRICO, varrerá para as latrinas da história os restos mortais do ideologismo comunista, socialista, imaginativista misturado com cafajestismo, prostituição, pederastia, vadiagem e psicopatias congênitas que produziu a bandidagem comunista terrorista que se auto expurgou da civilização brasileira pelo suicídio de poder como o “Ideário da Revolução de 64” havia diagnosticado e prescrito. E, pelo qual as Forças Armadas produziram a Constituição.

     AS FRATURAS CONSTITUCIONAIS EXPOSTAS DO CORPO DE DELITO DO PAIS.

     O ataque terrorista contra o art. 1º inc. III e Parág. único com o art. 5º caput e incs. X, o art.  15 inc.V,  o art. 37 caput e § 4º, o art. 53 § 1º, o art. 85 inc. V, e o art. 101 da Constituição que rompe o Estado Democrático de Direito na fusão do voto com a bala no mandato/patentes de Presidente da República e dá emersão ao POVO EM REAÇÃO DE CIDADANIA PELA INTERVENÇÃO NO PROCESSO HISTÓRICO ATRAVÉS DO DESFORÇO FÍSICO COM OS CAMINHONEIROS, MOTORISTAS E TRANSPORTADORES, AGRICULTORES E POLÍCIA FEDERAL, se tipifica pela falência do País resultante do roubo generalizado do País que vai da corrupção aos salários, proventos e remunerações pelos cofres públicos.  Pois, se o País está quebrado, com sua estrutura física totalmente destruída e sob “suspensão de investimentos públicos” e “ajuste fiscal,” então, até os salários configuram roubo. Ninguém no Estado 9,8% maior do que sua iniciativa privada investiu em qualquer coisa econômica no País. Então, investiram lá fora? 2/3 dos R$ 36 trilhões roubado está investido fora e imobilizado em apartamentos, casas, fazendas, lanchas, iates, carrões, e 1/3 foi esbanjado em viagens e compras no exterior. E como a Economia sustentava o emprego e o Estado? Pela roda do consumo/produção através de falcatruas contábeis, estelionato estatístico, renúncias fiscais, estelionato de preços públicos, estelionato de consumo, contabilização como crédito da dívida pública renegociada, contabilização de exportações inexistentes por onde produziam ativos líquidos para captação do dinheiro do terrorismo e tráfico pelas bolsas e suprimento do lastro metálico em contas correntes para os bancos girar o consumo/produção que mantinha o emprego no consumo fiado e a arrecadação tributária na produção submissa às emissões governamentais que se acumulavam em dívida pública que, calcula-se estar entre R$ 7 e 9 trilhões.

     A prova, em esfera do Foro de Soberania inicia com o Supremo Tribunal Federal empenhado em acabar com o “foro privilegiado” pelo único motivo de “diminuir o serviço dos ministros” como Roberto Barroso informa: “... resolve o excesso de processos criminas no STF, mas não soluciona a impunidade no País.” E isso basta para mostrar que o País chegou ao pique do apodrecimento moral e político da sua civilização para a guerra civil encarniçada que disso emergirá. Pois, a informação do “ministro” revela que o podridão do mundo do “foro privilegiado” excedeu a capacidade repressiva do Estado; extinguindo a ordem jurídica e o regime democrático.

     E como os bandidos terroristas enganam a nação? Basta ser atento à propaganda massificada para a qual Temer “contratou um marqueteiro por R$ 46 milhões” e emite R$ 25 bilhões de real frio para custeio da Mídia terrorista. Por exemplo o espetáculo da “reforma da Previdênciaque é igual ao espetáculo do “combate à microcefalia, aedes aegyptis, zika e shikungunya,” funda-se no lançamento contábil de que: “atualmente ela tem 26 milhões de idosos que lhe consomem R$ 202,8 bilhões a mais do que ela arredada, mas, em 2.060, serão 73 milhões de idosos que consumirão R$ 8.9 trilhões superior ao que ela arrecadará. Ai, a dívida brasileira, que hoje é de R$ 74,4% do PIB poderá chegar a 1000% em 2021. 500 bilhões é o que o País vai economizar em 10 anos.” Vejam a engenharia do embuste! Só uma mente diabólica, sem senso do ridículo e sem o mínimo de respeito pela nação esclarecida ENTRETE A POPULAÇÃO COM UM ENREDO DESSE GRAU DE MEDIOCRIDADE, PARA ELES SE MANTER ROUBANDO A MASSA FALIDA ATÉ SEREM LINXADOS DO PODER.  O mesmo enredo fazem com a depressão econômica e a inflação. Venderam e alienaram o que ainda estava do patrimônio público de segurança nacional; “repatriaram R$ 78 bilhões do roubo que têm escondido lá fora, consumiram com o GFTS, Pis/Pasep e todos os fundos financeiros da economia, 63% do empresariado brasileiro se transferiu para China, Paraguai, índia, Austrália; 3,6 milhões de pessoas abastadas fugiram para os EUA, Inglaterra, Alemanha, Bélgica; 16,1 milhões de pessoas foram excluídas do consumo; o poder aquisitivo do salário mínimo sofreu confisco de R$ 16 bilhões; e o assalto tributário embutido nos preços públicos retirou 35% da capacidade de consumo da população. Isso produziu uma redução no CONSUMO de 87% desde 2.014 quando a nossa denúncia do estelionato do “socialismo monetarista de Estado sem economianos foros internacionais próprios revelou o estado falimentar do Brasil a partir de 2.015. Assim, não há redução de inflação, não há contenção da depressão econômica, mas sim, MISÉRIA DO POVO BRASILEIRO que o ajustou à ESCRAVIDÃO terrorista que o submete. Como também, a mentira da “redução da taxa selic a índice milagroso.” Ao contrário do que os terroristas querem enganar, ela mostra exatamente o GRÁU DE EMPOBRECIMENTO DO PAIS. Pois, foram as imobilizações de capital que desapareceram e com elas desapareceram os investimentos de expansão empresarial. Ai, emerge a “lei da oferta e procura:” desaparecem os quem pedem dinheiro emprestado, o custo do dinheiro cai na mesma proporção.”

Quartel General do Exército, Brasília/DF, 11 de dezembro de 2.017
COMANDO DA INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO
na representação constitucional do povo no comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas - Celio Evangelista Ferreira do Nascimento - Forças Armadas - Polícia Federal - Polícias Militares - Polícias Civis - Agentes Penitenciários - Ministério Público Federal – Ordem dos Advogados do Brasil – Justiça Federal 


Documento de Contas à POLÍCIA FEDERAL.

 


* Fusão do Brasil com o Terrorismo: Clique aqui para ler.

* PGR Raquel Dodge notificada sobre sua situação jurídica: Clique aqui para ler.

* Convite para toda população brasileira, para o dia 29/12: Clique aqui para ler.

* Leia também: Celio, a Constituição e as Forças Armadas   e   As Super Potências conosco.

* Entenda o estado de legitimidade e constitucionalidade que as Forças Armadas estão cobertas para efetivarem a prisão de Temer, e outros desde 14/08 e o ato interventorial que elas receberam em 13/11 que as habilita: Clique aqui para ler.

Leia mais ...

Constitucionalismo - parte 3

Publicado em Comunicados

Série de aulas e esclarecimentos sobre o Constitucionalismo que produziu a Constituição Federal de 1988.


Aula 03 - A civilização brasileira e os princípios cristãos.  A decadência da Suprema Corte, como Oráculo do Povo  no exercício direto do Poder. A natureza religiosa do Estado brasileiro. A reação de Cidadania iniciada em 2004.  O Persecutório Institucional de Estado e o desempenho da Polícia Federal. A transformação, do Armagedom armado pelo PT, em caso de Polícia.

 


Celio Evangelista Ferreira do Nascimento - jurista constituinte.

Graduações acadêmicas e doutorados: Direito, Economia, Sociologia, Política, Comunicação, Propaganda, Ciência das Religiões, Estratégias Ideológicas e Administração de Ideias,  Psicanálise, Engenharia Financeira e Tributária.


Leia também: Célio, a Constituição e as Forças Armadas  e  Operações da Polícia Federal.

Leia mais ...

Constitucionalismo - parte 2

Publicado em Comunicados

Série de aulas e esclarecimentos sobre o Constitucionalismo que produziu a Constituição Federal de 1988.


Aula 02 - Os poderes constitucionais. A natureza espiritualista da Constituição da República de 1988 e a Dignidade da Pessoa Humana, como alicerce da civilização brasileira.  A perenidade da Pátria nas Forças Armadas. O jurista, constitucionalista e cientista político e sua atuação na elaboração da Carta Dogmática.

 


Celio Evangelista Ferreira do Nascimento - jurista constituinte.

Graduações acadêmicas e doutorados: Direito, Economia, Sociologia, Política, Comunicação, Propaganda, Ciência das Religiões, Estratégias Ideológicas e Administração de Ideias,  Psicanálise, Engenharia Financeira e Tributária.


Leia também: Célio, a Constituição e as Forças Armadas.

Leia mais ...

Constitucionalismo - fundamentos. Parte 1

Publicado em Comunicados

Série de aulas e esclarecimentos sobre o Constitucionalismo que produziu a Constituição Federal de 1988.


Aula 01 - Bastidores da Assembléia Nacional Constituinte. A importância das Forças Armadas. Constitucionalismo: essência, estrutura e raízes remotas. O que é Constituição. O Estado e a Democracia que a Constituição de 1988 projeta. Os fundamentos da Civilização.

 


Celio Evangelista Ferreira do Nascimento - jurista constituinte.

Graduações acadêmicas e doutorados: Direito, Economia, Sociologia, Política, Comunicação, Propaganda, Ciência das Religiões, Estratégias Ideológicas e Administração de Ideias,  Psicanálise, Engenharia Financeira e Tributária.


Aula 2: clique aqui para acessar.
Aula 3: clique aqui para acessar.
Aula 4: clique aqui para acessar.
Aula 5: clique aqui para acessar. 


Leia também: Célio, a Constituição e as Forças Armadas.

Leia mais ...

Célio, a Constituição e as Forças Armadas

Publicado em Comunicados

ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO, PELA PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA  -  PROCURADORIA/MS 


Atualização de status
De Celio Evangelista - (61) 98238-2415
ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO, PELA PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA – PROCURADORIA/MS. COMO O ART. 1º INCS. I,II E PARÁG. ÚNICO, COM ART. 3º INC. I, ART. 4º INCS. II, III, VIII E O ART. 127 DA CONSTITUIÇÃO INSTITUI.
PROTOCOLO PR-MS-00016868/2014

O Brasil está sofrendo um ATAQUE TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS, diferente do que foi em 1964. É uma fusão do comunismo com o radicalismo islâmico. E eles têm muito dinheiro. Estão atacando em todas as áreas. Na iniciativa privada eles estão esbanjando financiamentos através do FCO, Fundo Soberano Árabe, Captação e Poupança e outras, infiltrados no Banco do Brasil, BNDES. E por isto, os financiamentos envolvendo a Dilma serem secretos. O ataque tem objetivo de submeter o Brasil, já fundido com Cuba, Hamas, Al Qaeda e as demais organizações terroristas islâmicas. A sede do terrorismo, que era o Afeganistão e Iraque, foi baseada em Cuba-Brasil. Por isto o Lula-Dilma construíram o Porto de Mariel e aeroportos em Cuba, porque lá é o depósito de armas e todos os suprimentos para os desfechos armados por todo o Continente. A primeira etapa é a escravização do Brasil, formando base com Cuba para a invasão dos Estados Unidos da América. É um projeto louco, mas justamente por serem loucos, eles são terroristas. E não temos hospícios para contê-los, porque são MUITOS, embora, em termos de Humanidade, sejam uma porcentagem mínima. O Fundo Soberano Árabe está largando dinheiro quase de graça. E tem seus agentes ganhando comissão para arrumarem clientes. Eles pretendem submeter a força empresarial e força de trabalho do Brasil, através do endividamento dos empresários e do povo. Quem entrar não sai mais. E o povo já está vivendo de cartões de crédito. Já são 183 milhões de cartões de crédito. Nesse plano a inflação, a recessão e o desemprego são mantidos em segredo, por estatísticas falsas. Esse dinheiro vem do tráfico de drogas, tráfico de pessoas, prostituição, contrabando de armas, exploração de farmácias, postos de combustível, corrupção política, e agiotagem pelos endividamentos de governos e prefeituras.

Então, a situação do Brasil já não é só de segurança nacional, mas, de SEGURANÇA DO MUNDO LIVRE. Daí, se nós não reagirmos, é certo que vamos passar pelo que o Afeganistão e o Iraque passaram. Os EUA, a União Europeia e o Estado de Israel estão em prontidão, formando uma FORÇA ÚNICA DE RESISTÊNCIA com as nossas Forças Armadas. Assim, não temos nenhuma preocupação no campo da reação armada, porque, embora o terrorismo seja uma potência em dinheiro e organizados para todos os tipos de crimes e maldades, eles não têm ESTRUTURA MILITAR e nem SUSTENTAÇÃO NACIONAL. São somente um BANDO UNIVERSAL DE FACÍNORAS da pior espécie. A China chegou a se simpatizar com a Dilma e constituir ameaça, mas também é contrária ao terrorismo e assumiu posição de neutralidade. Como a Rússia também. Não fosse a união do comunismo com o fundamentalismo terrorista, a nossa situação era de estado crítico, devido a participação da China. E isto era o que nos continha. As Forças Armadas estiveram sempre atentas e em ação, porém, regidas pelo bom senso e o grau de responsabilidade que as identifica. A guerra surda no submundo do terrorismo comunista fundamentalista, começou quando eu fui chamado à ativa, em 2004, quando iniciamos a reação pelas CPIs dos Correios e do Mensalão. Fui eu, Celio Evangelista que forneci os fatos determinados e fiz a estrutura de deflagração das duas CPIs. E por causa disso, sofri 4 atentados e não largaram mais do meu pé, fabricando vida pregressa e dossiês em cima de mim. Perdi um escritório num prejuízo de mais de R$ 30 milhões, e um apartamento, num prejuízo de mais de R$ 14 milhões, invadidos e saqueados pelos bandidos terroristas arregimentados em corporações quadrilheiras com promotores de justiça, delegados de polícia, juízes, desembargadores, chegando até o Superior Tribunal de Justiça e Procuradoria-Geral da República. Fiquei sem foro de socorro, porque em todas as instâncias, perante qualquer dos poderes públicos, peticionei ao próprio bandido ou protetor dele. Como foi perante o Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal. E só ai, ao sofrer na própria carne o terrorismo comunista fundamentalista de bandidos foi que tomei consciência profunda da situação em que estava o Brasil. Ai, levei dois anos, auxiliado pelos serviços de inteligência do mundo livre, para conhecer em profundidade toda a organização em todo o seu contexto universal, e armar o sistema de detonação das suas entranhas, das quais está faltando a última explosão, porque já ocorreu a da Petrobrás. Numa sequência científica que deixou a bandidagem do poder desorientada e totalmente indefensável nos foros internacionais, e a tipificação da tirania terrorista comunista fundamentalista de bandidos, plenamente exposta. Tanto que a China e a Rússia recuaram, quando lhes revelamos o domínio cabal da situação e o que iríamos fazer, se elas efetivassem parceria com a organização terrorista. E, tanto a China quanto a Rússia, têm pretensões contra os EUA e ganância pelo Brasil, porém, desaprovam o comunismo fundamentalista terrorista que a Dilma adotou.

Com estas informações de entranhas do FRONT, no tanto que posso fazer, esclareço sobre a POSIÇÃO da REPRESENTATIVIDADE CONSTITUCIONAL do POVO na INTERVENÇÃO CONSTITUINTE em FORO de SOBERANIA nas FORÇAS ARMADAS.    De início era somente eu, porque meus companheiros de missão não podem nem ser mencionados. E se fosse nos EUA, eu não poderia nem dizer que minei todas as entranhas do poder, ajudado por efetivos de inteligência do mundo livre, porque já seria recolhido aos abrigos das Forças Armadas, para o tipo de profissionais desse campo; embora tivesse feito um serviço em defesa do país. Mas, agora, praticamente, eu desapareci. Pois a representação constitucional da nação está sendo feita por mais de 1,4 milhão de pessoas que já assumiram o POVO EM INTERVENÇÃO CONSTITUINTE EM FORO DE SOBERANIA NAS FORÇAS ARMADAS. Porquanto, TODAS AS PESSOAS que se agregam a esse empreendimento, a CONSTITUIÇÃO AS DECLARA REPRESENTANTES CONSTITUCIONAIS DO POVO. Assim, NINGUÉM poderá ser perturbado por autoridades constituídas por estar promovendo a REAÇÃO DE CIDADANIA DO POVO EM FORO DE SOBERANIA NAS FORÇAS ARMADAS. Porque o Estado Democrático de Direito se acabou, na ruptura da fusão do voto com a bala no mandato de Presidente da República, quando o poder civil, que é o voto, rompeu a Magistratura de Estado que é o coração do Estado Democrático de Direito, pelo “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil em 22 Anos.” O qual instalou o BANDITISMO OLIGÁRQUICO COMUNISTA TERRORISTA na Presidência da República de onde ele estendeu metástase para o Congresso Nacional, Poder Judiciário, Ministério Público, Ordem dos Advogados, Escolas Públicas e Universidades e daí, por todo o tecido institucional e estruturas operacionais da Republica em forma de crime organizado no governo, operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras. E transformou a democracia em regime prisional, com o povo sequestrado em seus lares e locais de trabalho, sob o terrorismo do medo, insegurança pública, insegurança jurídica, insegurança moral, insegurança educacional, insegurança intelectual, insegurança econômica e insegurança nacional; sofrendo saqueamento do País, guerra civil terrorista marginal; apodrecimento moral da civilização brasileira; destruição da educação; destruição dos Símbolos, Valores, História e Tradição que identificam a Pátria. E transformou a Constituição numa agenda de anotações dos interesses das corporações subversivas; e destruiu a eficácia do Estado Democrático de Direito, com bandidos fazendo as leis que lhes convém, por quadrilhas parlamentares, e a justiça nas mãos de “bandidos escondidos atrás da toga” e “vagabundos se impondo pela intimidação “na “mercadejação forense de decisões e sentenças.” E assim se tipificou uma TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS DIVIDIDOS EM BANDIDAGEM NO PODER E BANDIDAGEM DE CAMPO. Cuja, faliu o Brasil, que está sendo movido por falcatruas contábeis, estelionato estatístico, renúncias fiscais, estelionato de consumo, estelionato de preços públicos e emissões de moeda fria, amparado no dinheiro do terrorismo fundamentalista islâmico, que está suprindo o giro dos cartões de crédito e do consumo de carros, eletrodomésticos, móveis, roupas e combustível. E no qual entra o saqueamento da Petrobras, da Eletrobrás, da Itaipu, dos Correios e de todo o País.

A salvação do Brasil foi o saudoso professor Afonso Arinos ter desejado um Estado democrático de direito imune a golpes. Cuja tarefa de construção do mesmo, na Constituição coube a mim e mais três juristas, por incumbência do saudoso amigo Ulysses Guimarães. Na qual contei com a milenar cultura judaica, que produziu a Civilização promovida por Ente Ideológico criado pela Lei, operado pelo Direito e consolidado pela Justiça sobre a tríade material do direito natural: Nação-Território-Soberania, que forma a essência e estrutura do Constitucionalismo.     Criamos o Estado Democrático de Direito operado pela DEMOCRACIA FORENSE, DECISÓRIA, MILITAR fundada na FUSÃO do VOTO COM A BALA no mandato de Presidente da República. Com seus comandos na Constituição alicerçada nas Forças Armadas que encarnam a tríade: Nação-Território-Soberania, que forma o POVO EM PODER CONSTITUINTE. O qual permaneceu no Estado instituído, como seu equipamento de auto defesa. Assim, não há como ocorrer golpe e nem implantação de comunismo, porque isso rompe a fusão do voto com a bala e dá emersão ao POVO NO EXERCÍCIO DIRETO DO PODER E/OU PODER CONSTITUINTE, por qualquer cidadão, que absorve o Estado em Foro de Soberania nas Forças Armadas, em sua ORIGINALIDADE DE NAÇÃO-TERRITÓRIO-SOBERANIA que preexiste e posexiste ao Estado.     Esse mecanismo ficou distribuído na Constituição, porque a bandidagem terrorista, hoje no poder, dizia que não “aprovariam a constituição, se ela tivesse impecílhos à chegada deles ao poder.” Como Constituição não é código de aplicação dispositiva e sim Carta Dogmática de execução legiferante e decisões de Estado, a permanência do Povo ou poder constituinte no Estado instituído ficou distribuída na sistematização mandamental da Carta. E, como fizemos isso porque conhecíamos o nível médio de cultura, escolaridade e inteligência da bandidagem terrorista, eles não se aperceberam e compareceram à Assembleia de Promulgação da Constituição, assinaram presença, disseram da tribuna que “não aprovavam a Constituição, porque era elitista e contrária aos trabalhadores e às classes menos favorecidas” e se retiraram da Assembleia. Mas, o que o Constitucionalismo exige é o QUORUM, porque constituição não tem aprovação e sim promulgação. Por muito tempo eles afirmavam que “o Brasil não tinha Constituição porque o Ulysses tinha imposto uma constituição feita pelas elites, sem aprovação do povo.” Só ficaram sabendo do engano, quando, melhor informados, no 2º mandato de Fernando Henrique Cardoso, quiseram invalidar o seu governo, com esse fundamento. E assim, por 26 anos os políticos pintaram e bordaram SEM CONSTITUIÇÃO, porque sequer souberam ler a mesma. E esse foi o caminho da bandidagem terrorista ao poder. Através de atos terroristas, porque todos são inconstitucionais, forjaram um sistema eleitoral terrorista formado de associações eleitoreiras que, nas eleições se arregimentam em coligações quadrilheiras para a manutenção do País como despojo das urnas, para a redistribuição entre as gangues políticas, através das bases parlamentares e governos participativos. Constituindo governos anárquicos terroristas, porque são inconstitucionais, por falta da legitimidade democrática instituída no pluralismo político, na renovação dos poderes e na insuspeitabilidade moral dos candidatos.

Entretanto, as Forças Armadas não podiam fazer nada, porque, se saíssem da Caserna, sobre o banditismo terrorista no poder, o Brasil sofreria bloqueios do mundo globalizado, porque teria havido rompimento da Ordem Democrática Mundial baseada nos Estados Constitucionais e Estados de Direito. Pois, o aparelho de autodefesa do Estado Democrático de Direito é a CIDADANIA, ou PODER CONSTITUINTE operado pelo FORO DE SOBERANIA, quando o Estado Democrático de Direito precisa ser recuperado por EXECUÇÃO DA CONSTITUIÇÃO. E isto não é uma reação em armas, e sim, uma reação forense. E como tal, sujeita a um procedimento perante os poderes constitucionais, que formem a RAZÃO DE ESTADO, ou dissolva a crise institucional. E esta reação tem de ser do Povo em um ou vários dos seus membros constituintes que, se for acatada pelos poderes constitucionais, evita a EXECUÇÃO EM ARMAS PELO. Seria a execução da Constituição pelo Povo nos poderes constitucionais. A civilização brasileira é desprovida do instrumento revolucionário que foi substituído pelo instrumento forense. Neste, É O POVO QUE EXECUTA A CONSTITUIÇÃO NAS FORÇAS ARMADAS, se resulta sem foro de defesa no Regime. Cuja situação tem de ser demonstrada pela RAZÃO DE ESTADO que impõe a REAÇÃO DE CIDADANIA DO POVO EM FORO DE SOBERANIA NAS FORÇAS ARMADAS.

Então, a INTERVENÇÃO tem de ser promovida por um cidadão representante constitucional da nação, ou por vários ou milhares ou milhões de cidadãos, porque a Constituição não exige representação constitucional numérica e sim, somente de titularidade constituinte, que é conferida por título eleitoral ou pelo art. 14 § 1º inc. II, b, da Constituição. E, ao procurar por companheiros para a reação, só fui acolhido pelos serviços de inteligência do mundo livre que já estavam preocupados com a implantação do terrorismo no Brasil e não podiam colaborar mais do que me ajudar na montagem do sistema de explosão das entranhas do poder. Mesmo as Forças Armadas tinham preocupação com a minha solidão e anonimato, porque a Nação não me conhecia. E, já estava sob o domínio publicitário do terrorismo comunista, que tinha, inclusive, quase extinto a inteligência da Nação e imbecilizado os poderes constitucionais, o quais, lotou de terroristas.   Só na Presidência da República, Lula colocou 46 mil. 36 milhões ao todo entre os 39 ministérios, mais de 50 mil agencias cartoriais de governo e mais de 150 mil alojamentos empregatícios; mais bolsa família, bolsa desemprego, seguro carcerário; e submissão da comunicação de massas por rádios e canais de televisão comunitárias. Em cujo setor o Lula gastou R$ 9 bilhões em 8 anos e Dilma já ultrapassa isso. Por isso, assinei às Forças Armadas o compromisso de ser morto e não preso se conduzisse a nação a erro. E empreendi o patrocínio do intervenção, que começou com a reação de cidadania do povo, formando o procedimento constitucional na RAZÃO DE ESTADO, até a CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO que fechou a base forense, sem adesão de nenhum dos poderes constitucionais e nem do Ministério Público que, constitucionalmente era obrigado a isso.

O procedimento forense produziu o volume de atos invocatório de cidadania aos poderes constitucionais, constante dos seguintes protocolos: PO 1300820 – 7.2.2013, perante o Colegiado Constituinte na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado no Foro de Soberania, formalizado pelos PROTOCOLOS: STF 0038341, 0048211; 0038342, 01.10.2012,4182/12; MRE-DCA 17.07.2012; PGR 31056422, 13.04.2012, SF17.07.2012, ACFA 29.2.2012, PR CODIN/POT /19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SF; ACFA 117.419 29.02012 30.05.2012, 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/MS 08335.005016/2013-61 28.01.2013; DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59 – COGER/DPF; 08200.008079/2013-03; 08200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-PR 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 00007443/2014 - 00007787/2014 – A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198-30.9.13; SPF 08335.006262/2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR; STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, e formalizam a “escritura de inteligência” que mostra a RAZÃO DE ESTADO tipificada pela CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO na Instituição da Presidência da República, para a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE, na operacionalidade direta do poder e/ou, do Estado Democrático de Direito pelo art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art.. 37 caput, o art. 84 inc. XIII e o art. 142 com art. 127 e o art. 80, da CF, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001 e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, pelo exercício do Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, em virtude de estarem presentes os pressupostos de legalidade, moralidade e responsabilidade, impostos pelo dever de hombridade, honradez, caráter e bom senso em que o Povo resulta em Foro de Soberania.

E, concluído o procedimento, com a tirania terrorista comunista fundamentalista de bandidos em franca movimentação de consolidação, o POVO, pelo CIDADÃO QUE O REPRESENTA CONSTITUCIONALMENTE, EM FORO DE SOBERANIA NAS FORÇAS ARMADAS, declarou ao Poder Executivo, reconhecimento de vacância nas patentes mandatárias de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, por CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO criada pelo rompimento da Magistratura de Estado na fusão do poder civil com o poder militar, que sublevou este no Povo sobre aquele na Presidente da República e tornou Dilma Vana Rousseff Linhares sem mandato. Porque o exercício direto do poder pelo Povo exclui o exercício indireto mandatário, como o outorgante de uma procuração destitui o procurador quando entra no exercício dos poderes que a procuração conferia. Conforme os ATOS INVOCATÓRIOS DE CIDADANIA depositados ao Ministério Público Federal – Procuradoria-Geral da República p/Procuradoria/MS, pelos protocolos: PR-MS 00015405/2014, 00015868/2014, 00015867/2014 e 00016304/2014. Chamam-se atos invocatórios de cidadania porque não são postulações de direitos ao poder coativo do Estado, que desapareceu, e sim determinações procedimentais de poder constituinte aos poderes constitucionais, para que executem a Constituição sobre o aniquilamento do Estado Democrático de Direito, no âmbito da respectiva investidura constitucional. Encerrada a PROVA NA RAZÃO DE ESTADO, de que o POVO ESTÁ SEM FORO DE SOCORRO NO REGIME, identifica-se a TIRANIA TERRORISTA ANÁRQUICA DE BANDIDOS, e se impõe a RECUPERAÇÃO DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO PELO POVO EM FORO DE SOBERANIA NAS FORÇAS ARMADAS. Que, resumido é AS FORÇAS ARMADAS EXECUTANDO A CONSTITUIÇÃO NA BALA. Pois, poder é bala. Fora esse, só existe o milagre, que somente Jesus sabia fazer.

A única identificação que o cidadão precisa fazer na representação constitucional da nação, no âmbito da INTERVENÇÃO CONSTITUINTE instalada, é da sua titularidade constituinte, constante do número do seu título eleitoral ou da sua condição constituinte natural. Mas, eu, pelo analfabetismo jurídico que enfrento até no Supremo Tribunal Federal que tem a maioria dos seus ministros provindos do PT, costumo fazer esta identificação: O POVO BRASILEIRO auto proclamado em sua identificação natural de Nação-Territorio–Soberania no Preâmbulo da Constituição e PERSONIFICADO NO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO e nele mantido em Poder Constituinte Originário no art. 1º caput e incs. I/V e Parág. único, art. 2º, art. 3º incs I/IV, e art. 4º incs. I/X e Parág. único, da Constituição da República, por onde se constitui em Ente Político de civilização, distribuído em organização federativa pela mesma, através das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado em Foro de Soberania; onde se bifurca pela cidadania em: a) poder civil constitucional transitório indireto; formado dos partidos políticos no Colegiado Civil composto do Presidente e Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado e Presidente do STF; b) poder militar constituinte, permanente, direto, formado do comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas no Colegiado de Caserna, composto dos Comandantes Superiores e Chefes de Estados Maiores das Forças Armadas, componentes do Alto Comando. Com sua sede constitucional no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes e endereço operacional no Quartel General do Exército – SMU - na cidade de Brasília-DF, aqui representado constitucionalmente pelo cidadão Celio Evangelista Ferreira, brasileiro, jurista, com título de cidadania instituído no art. 14 § 1º, inc. II c, da CF e inscrição eleitoral nº 0038.4759.0647-Brasília/DF, com endereço operacional no Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF.

Então, as Forças Armadas não falam. Elas formam com as armas o PODER DE AUTODEFESA do POVO BRASILEIRO.  É somente este que tem existência real no Estado Constitucional brasileiro. Nenhuma autoridade constituída pode invocar com o cidadão no exercício direto do poder em REAÇÃO DE CIDADANIA contra a tirania terrorista comunista fundamentalista de bandidos, porque isso representa AGRESSÃO COBERTA PELA LEGÍTIMA DEFESA no art. 1º incs. I,II, III e Parág. único, com art. 5º caput, e o art. 144 caput, da Constituição, que recepciona o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU. Pois, se estabelece a primeira situação da exclusão do exercício indireto do poder, através de mandatos ou de investiduras outorgadas pelo Estado, face o exercício direito do poder pelo Povo em poder constituinte. E o ESTADO DE BANDITISMO QUE ENVOLVE OS TITULARES DE AUTORIDADES COM O SAQUEAMENTO DO PAIS, MASSACRE DA NAÇÃO E DESTRUIÇÃO DA PÁTRIA, lhes desprovê da LEGITIMIDADE CONSTITUCIONAL para operar o poder de coação do Estado. Cujo, se absorve na REAÇÃO DE CIDADANIA DO POVO EM PODER CONSTITUINTE. É o Ministério Público o responsável pelo estado de marginalidade e corrupções do País.

Este esclarecimento é ATO DE CIDADANIA devidamente depositado ao Ministério Público, que é a instituição CARTORIAL do Foro de Soberania. E, por si só já diz que o Estado Democrático de Direito está ROMPIDO na Magistratura de Estado, impondo a recuperação da mesma pela EXECUÇÃO DA CONSTITUIÇÃO EM ARMAS. Visto que os poderes constitucionais e o próprio Ministério Público escolheram se compor na tirania terrorista comunista fundamentalista de bandidos. Em cuja posição, ou resultarão vencedores sobre O POVO NAS FORÇAS ARMADAS, ou em conspiração contra a Pátria, para o EXPURGO QUE A DERROTA LHES IMPORÁ. E, se as Forças Armadas não falam, tudo o que eu divulgo está amparado por elas no procedimento constituinte constante dos protocolos mencionados nesta. De cujo, saiu a indicação do Exmo. Sr. Gen.de Ex. Enzo Martins Peri, integrante do Colegiado Constituinte na Magistratura de Estado, para preencher a vacância das patentes mandatárias de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, que deve ser procedida a partir do dia 06 de outubro de 2.014. Porquanto, além do pleito eleitoral ser um estelionato político aniquilador do Estado Democrático de Direito no pluralismo político, renovação nos poderes e culto ao dogma da dignidade humana, ele tem intenção de consolidar a tirania terrorista anárquica de bandidos no poder. E, já constitucionalmente instalada a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE para recuperar o Estado Democrático de Direito, reunificar a Nação e reinstalá-la no trabalho, independe de quem dê continuidade ao modelo político que instala a crise institucional de estado. Pois o pleito se abrange na RAZÃO DE ESTADO que impôs a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE. Contudo, a partir do dia 05 de novembro até o dia 1º de janeiro de 2.015, a INTERVENÇÃO terá duas titulares do EXPURGO que se impõe na Presidência da República. E a situação política emergencial estará suprida com os titulares de governo e parlamento para a satisfação republicana até as eleições constitucionais que certamente virão em breve. Pois, a ocupação da interinidade constituinte não fere a democracia forense, decisória militar, que deve ser recuperada e receber seu curso constitucional. A indicação do Exmo. Gen.de Ex. Enzo Martins Peri decorreu da aposentadoria do Exmo. Ministro Joaquim Barbosa, que deixou a gradação do art. 80 da Constituição, desprovida de titulares identificados por padrão moral, padrão de cátedra e padrão cívico exigidos pelo Estado Democrático de Direito para a investidura de Magistratura de Estado.

Todos os brasileiros e brasileiras decentes que tiverem conhecimento da presente e quiserem divulga-la, façam, porque no momento em que você se engajar na INTERVENÇÃO já instalada pelo Povo, você se faz um representante constitucional dele. E como tal, um líder que a História guardará. Por motivo de grampo, meu telefone de contato social é (61) 98238-2415.
Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF. 10.09.2.014
celio evangelista ferreira - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
na representação constitucional da nação
em suas Forças Armadas.
Leia também ATO INTERVENTORIAL 0001/2018 e entenda o expurgo do ESTADO pela MAGISTRATURA de ESTADO.
Leia mais ...

PREVINE os 3 Comandantes Militares

Publicado em Comunicados

"...instaura as Forças Armadas à prontidão para eventuais saídas de auto defesa da Constituição e de legítima defesa social, política, cultural, econômica e histórica da Nação na esfera do processo histórico afeta à Soberania e à Segurança Nacional (...) para eventuais saídas e operações de campo a partir do dia 26.12.2017; com especial recomendação para o Distrito Federal, onde se tem informação de que "discreta operação terrorista estaria sendo articulada, com equipamentos letais para, já estocados em mesquitas", informação não descartada, face estarem presentes no "país Pátria Grande" proclamado e em "consolidação" na região de Quedas do Iguaçu/PR; bem como presença terrorista fundamentalista por toda a Amazônia e posições estratégicas pelo Nordeste, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul..."



Leia também: as demais publicações de dezembro de 2017


 

Leia mais ...
Assinar este feed RSS
Log in