Não podia passar em branco....
Imagem: Diário Jurista

Não podia passar em branco....

"....Fazendo-se necessário informar que a Constituição é obra das Forças Armadas na Assembleia Nacional Constituinte que a promulgou no dia 05.10.1988; data que, o POVO EM PODER CONSTITUINTE por decorrência da transformação da democracia que ela projeta em cleptocracia e do País que ela institui em sindicato de ladrões, estará, como já informou,  no dia 05 de outubro de 2.017 comemorando os seus 29 anos de promulgação, em regime de reação de cidadania de recuperação dela deagenda de anotações dos interesses da bandidagem oligárquica comunista fundamentalista terrorista em que ela foi transformada,para a sua vigência plenipotenciária como fonte, moldura e perenidade inviolável da Civilização Brasileira que, por ela, deve se materializar na Pátria como abrigo perpétuo do suceder-se das gerações..." Continua....


 

e se constitui em Ente Político de civilização,distribuído em organização federativa pela mesma, através das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; bifurcado em: a) poder político constitucional rotativo indireto nos partidos políticos no art. 1º incs. II,V e Parág. único, com o art. 14 incs. e §§ e art. 17 incs. e §§, art. 27 § 1º, art. 28, art. 29 inc. II, art. 46, o art. 76, e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Mandatário composto do Presidente e Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado Federal e Presidente do STF; b) força militar constituinte permanente direta, formada das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade supremadas Forças Armadas, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III, o art. 84 incs. XIII, e o art. 142 com o art. 91 inc. VIII e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Constituinte, composto dos Comandantes Superiores da Marinha, Exército e Aeronáutica; com personalidade jurídica instituída no art. 2º e arts. 18, 20, 21, 22 da Constituição na UNIÃO FEDERAL,CNPJ nº 29.979.036/0001-40, sediada no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Brasília/DF, 

em FORO DE SOBERANIA pelo exercício direto do poder nos termos do art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. I, II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art.37 caput, o art. 84 inc. XIII,com o art. 142 e o art. 80 com o art. 91 inc. VIII, mais o art. 144 caput e inc. I, § 1º, da Constituição, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, com o Decreto n. 5.639 de 26.12.2005, e o Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, face estar presente no corpo de delito do País a RAZÃO DE ESTADO, CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, ASSALTO AO PODER PELO FORO DE SÃO PAULO, FALÊNCIA DO PAIS e CAOS SOCIAL, que rompeu o Estado Democrático de Direito na fusão do voto com a bala no mandato-patentes de Presidente da República e extinguiu eficácia à Magistratura de Estado desprovendo o Processo Histórico de regência institutiva e dando emersão ao povo em reação de cidadania como equipamento constituinte de autodefesa da Constituição e de legitima defesa social, política, econômica e histórica da nação, instrumentalizado com a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO, instaurada, recebida, aceita e homologada pelos poderes constitucionais, instituições e entidades públicas, no procedimento constante dos PROTOCOLOS: STF Pet142098/08.10.2008,STF 0038341, 29.2.2012, PR CODIN/POT/19.02.2012;SF29.02.2012;SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SF; CFA 117.419 29.0201230.05.2012, 10.10.12;DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/MS 335.005016/2013-61 28.01.2013; PO 1300820-7.2.2013/ACFA:DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74;08001.014173/20 12-59 –COGER/DPF;08200.008079/2013-03;08200.008592/2013-96;DPF/CEVEL-R 02.05.2013;MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014–07443 /2014 – 00007787/2014R 02.05.2013;MPF/MS- 0000744/20 14; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014–000 07 443 /2014 – 00007787/2014–A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M;CD 006198- 30.9.13;SPF 08335,006262/ 2014-11; PGR 00001654/2014;PGR 0007443PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR STF AR-J6603237679BR;PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2 022450-2/2;018742-2/2; 019223-22/, 01237180;151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, 01237180;151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, PGR 10058/2014. STF SF 82200437/2014;STF PE 6197258220; ACFA PE 513259353JH; STF PE 513269996JH; STF PE 619725820JH; PRM-CAC-PR 10058/2014; PR PRM-CAC-PR 00010318/2014,  para: RECUPERAR A SUA VOCAÇÃO DE LIBERDADE; RESTAURAR O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO; RESTABELECER A UNIDADE DA NAÇÃO; REENCAMINHAR O PAIS PARA O TRABALHO eRECONSTRUIR A SOBERANIA DO BRASIL; tendo por objeto abrangencial a instalação do Brasil pelo PROJETO AMAZÔNIA – Soberania, Poder e Riqueza pelo caminho da roça,que traz a ECONOMIA TRABALHISTA EDUCATIVA pelo COOPERATIVISMO DE ESTADO composto de iniciativa privada e governo, campo e cidade, empreendendo o trinômio patrimonial originário: HOMEM-TERRA-NATUREZA para o PROGRESSO visando QUALIDADE DE VIDA.


pelo COMANDO DA INTERVENÇÃO formado do cidadão Celio Evangelista Ferreira,brasileiro, jurista, título de cidadania outorgado pelo art. 14 inc. II, b, da Constituição, cadastro eleitoral nº 0038.4759.0647/Brasília-DF, filiação partidária 011745991910/PMDB, CPF nº 198.285.009-49, RG 788947/MS, endereço operacional no Quartel General do Exército – SMU, Brasília/DF; endereço de expedientes: telefone 61 98238-24.15, as Forças Armadas, Polícia Federal,Policias Militares, Polícias Civis, Agentes Penitenciários, Ordem dos Advogados do Brasil, Ministério Público Federal, Justiça Federal e lideranças da nação, NO COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS, na execução do art. 144 incs. I § 1º; II § 2º; V § 6º da Constituição,

INFORMA e REQUISITA a Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Polícia Federal, nos termos da convocação feita no dia 11 de setembro de 2.017 sobre o seguinte: Que iniciou a montagem do acampamento na Praça dos Três Poderes, Plano Piloto, na cidade de Brasília/DF, de comemoração dos 30 anos da Assembleia Nacional Constituinte, a qual no dia 05 de outubro de 1988 encerrou o período de gestação colonial de 488 anos da Civilização Brasileira e instalou o Brasil pela “CONSTITUIÇÃO CIDADÔ em trabalho de parto de um TEMPO NOVO que no dia 05 de outubro de 2.017, aos 29 anos de sua promulgação, inicia a instalação do Brasil no canteiro de obras de construção da civilização que a Constituição idealiza pelo PROJETO AMAZÔNIA – Soberania, Poder e Riqueza pelo caminho da roça, que vem com o patrimônio de US$ 243 trilhões e US$ 4,7 trilhões em caixa, para ser empreendido pela ECONOMIA TRABALHISTA EDUCATIVA constituída pelo COOPERATIVISMO DE ESTADO feito de iniciativa privada e governo, campo e cidade transformando a tríade patrimonial originária: HOMEM-TERRA-NATUREZA em PROGRESSO para QUALIDADE DE VIDA. O qual impõe a desmontagem do modelo político oligárquico ideológico anárquico desagregador da nação, de gastos, custos, desperdícios e consumo esbanjador e irresponsável, e a recuperação do ESTADO CONSTITUCIONAL ECONÔMICO PATRIMONIALISTA de PROGRESSO para QUALIDADE DE VIDA, reintegrando a força empresarial ao desenvolvimento e a força de trabalho ao emprego.

Então, o evento não émanifestação popular”e nem “protesto ideológico ou de gênero,” que o comunismo terrorista gramscista criou, mas sim, inaugura o primeiro momento de prática efetiva da “Constituição Cidadã” no canteiro de obras de construção da Pátria instalado de 1964 a 1985. E, como ela, nesses 29 anos, foi submetida por 92 “emendas” à tirania oligárquica comunista fundamentalista transnacional corporativa terrorista de bandidos, ocupados em roubar o País, massacrar a Nação e destruir a Pátria pelo crime organizado no governo, operado por gangues políticas e gerido por quadrilhas e corporações terroristas amparadas por bandidos escondidos atrás de mandatos inventando leis para bandidos escondidos atrás da toga manter o terrorismo acordo como sistema de poder e a corrupção e o roubo partilhado como forma de governo, sofre a ruptura no Estado Democrático de Direito na fusão do poder político com a força militar no mandato/patentes de Presidente da República, que dá emersão ao POVO NO EXERCÍCIO DIRETO DO PODER, no qual se reinveste da regência institucional do Processo Histórico em auto defesa da Constituição e legítima defesa social, política, econômica e histórica da nação, e do comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, que abrange as Polícias Militares no art. 1º incs. I,II e Parág. Único com o art. 84 inc. XIII com o art. 142 e o art. 144 inc. V, § 6º da Constituição, e a chefia da Polícia Federal no mesmo art. 144 inc. I, § 1º da Constituição; lembrando-se que a Constituição não é código dispositivo de aplicação judiciária e sim, Carta Dogmática de execução institutiva, e por isso, está auto suprida do Poder Constituinte por ela preservado no seu poder constitucional, sob vigilância normativa do Supremo Tribunal Federal em esfera de Corte Constituinte no Foro de Soberania; cujo, se o invocatório do POVO PELA INSTITUIÇÃO DA CIDADANIA executa a Constituição, apenas o recebe em silêncio, porque qualquer pronunciamento a respeito seria “chover no molhado” que desqualificaria a Corte Constituinte diante do art. 101 da Constituição; fato que se acresce do estado de suspeição do Colegiado Magistral Supremo que, pelo recebimento de Luiz Edison Facchin e Alexandre Morais, escolhidos e nomeados pelos bandidos terroristas e marginais Dilma Vana Rousseff e Michel Miguel Elias Temer Lúlia e escancarado desempenho em favor da bandidagem oligárquica comunista fundamentalista terrorista resulta uma corporação terrorista de “bandidos escondidos atrás da toga e vagabundos que se impõe pela intimidação na mercadejação forense de sentenças” como a Corregedoria Nacional de Justiça reconheceu nos vereditos proclamatórios da Ministra Eliane Calmon e no acervo proclamatório do próprio Supremo Tribunal Federal; e por isso, os atos de cidadania invocatórios são à Instituição da Corte Suprema e não a esse Colegiado do Supremo Tribunal Federal; donde eles resultam recebidos, aceitos, reconhecidos e promulgados por arquivamento tácito. Pois o POVO está sem foro de socorro no Regime, porque, perante qualquer autoridade, em qualquer dos poderes constitucionais, peticiona ao próprio bandido ou a protetor dele; em cujo rol se inclui a Procuradoria-Geral da República submetida a uma Procuradora-Geral escolhida, nomeada e empossada pelo meliante chefe, fonte e principal beneficiário da marginalidade em aumento de 1.638% de 2.003 a 2016; com o respectivo desempenho terrorista contra o art. 127 da Constituição; impondo-se irremediavelmente, a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO através da Constituição pelas Forças Armadas no seu assento constituinte originário: NAÇÃO-TERRITÓRIO-SOBERANIA.


Fazendo-se necessário informar que a Constituição é obra das Forças Armadas na Assembleia Nacional Constituinte que a promulgou no dia 05.10.1988; data que, o POVO EM PODER CONSTITUINTE por decorrência da transformação da democracia que ela projeta em cleptocracia e do País que ela institui em sindicato de ladrões, estará, como já informou, no dia 05 de outubro de 2.017 comemorando os seus 29 anos de promulgação, em regime de reação de cidadania de recuperação dela de agenda de anotações dos interesses da bandidagem oligárquica comunista fundamentalista terrorista em que ela foi transformada, para a sua vigência plenipotenciária como fonte, moldura e perenidade inviolável da Civilização Brasileira que, por ela, deve se materializar na Pátria como abrigo perpétuo do suceder-se das gerações.


A essa tragédia política que qualifica este momento pela RAZÃO DE ESTADO, CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, ASSALTO AO PODER PELO FORO DE SÃO PAULO, FALÊNCIA DO PAÍSe CAOS SOCIAL e assenta o POVO EM FORO DE SOBERANIA MANEJANDO A INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO pelas Forças Armadas que abrange as Polícias Militares e a Polícia Federal tanto pela disposição dogmática da Constituição, quanto pela originalidade constituinte que faz a respectiva agregação diante da substituição do Estado Democrático de Direito pela tirania oligárquica comunista fundamentalista transnacional corporativa terrorista de bandidos, cuja, está identificada pelo esbulho da Instituição da Presidência da República desde o dia 1º de janeiro de 2.015 feito pelo Foro de São Paulo com o Instituto Lula, José Dias Toffoli e a Procuradoria-Geral Eleitoral pelo pleito eleitoral terrorista de 2.014 promovido com dinheiro roubado da Petrobrás, BNDES, Eletrobrás, Eletronuclear, Cofres Públicos e do povo, como qual fabricaram o mandato para Dilma Vana Rousseff nas urnas eletrônicas e o refabricaram em 2.016 na Câmara dos Deputados e Senado Federal como Supremo Tribunal Federal para Michel Temer pelo “impeachment da Dilma,” tipificando golpe de Estado por atentado terrorista contra a Constituição, soma-se a necessidade de expurgo da Civilização brasileira da respectiva organização que se compõe da:
a)bandidagem no poder alojados nos cofres públicos e instalados nas Instituições pelo: PMDB, PSDB, PT, DEM, PCB, PC do B, PTB, PDT, PSB, PPL, PTC, PSC, PMN, PRP, PPS, PV, PT do B, PR, PSTU, PRTB, PHS, PSDC, PCO, PTN, PSC, PRB, PSL, PR, PSD, PROS, SP, PMB, PP, PRTB, REDE, PODEMOS, PATRIOTAS, supridos pelos “especialistas,” “intermediadores,” “negociadores” e “mefíticos” de toda a espécie, que estão espalhados por todo o tecido institucional e todas estruturas operacionais da República e iniciativa privada, alojados no erário público e ocupados em:a) roubar o Pais,b) massacrar a Nação,c) destruir e vender a Pátria;
b) bandidagem terrorista transnacional, alojados no “projeto Pátria Grande” e instalados no terrorismo corporativo sem fronteiras pela: URSAL, UNASUL, URC, ESAD, G-20, BRICS, FAO, OTSC, CEI, OCS, ECVCNB, no MST, CUT, MSTA, CEMIG, CONTAG, Via Campesina, MLST, MAB, MIR, ELN, EZ, APINB, ARPIN-Sul, COIAB, APOINME, CIR, ABA, IEB, CTI,CUIA, Sindicatos, Hamas, Taleban, Al Qaeda, Jihads, Hesbollah, Boko-Haran, Al Shebab, Estado Islâmico; Foro de São Paulo; Instituto Lula; Escola Sul-Americana de Defesa; Unidade de Coordenação Eleitoral; Exército Bolivariano; ocupados em destruir a organização constitucional do mundo, apodrecer a civilização e desestabilizar e dispersar a humanidade;
c) bandidagem de campo alojados no “fome zero” e criminalidade quadrilheira, organizados em: PCC, CV, FDN, TCC, CRBC, CDL, SS, DCMS, TC, ADA, IDI, AJ, AD, B.dos 40; PCN; ER; 300 Esp.; PCM; ERam; B. dos 300; CC; GDA; PCM; BI; PGE; B. dos 40; ADM; COM; B.dos 300M; PCM2; PCE; CP; BM; KATIARA; CPr; CAVEIRA; CMO; PJ; PCMpr; PCMG; MP; PI; PCU; CJUC; GF, CDLcr, PGC2, PCRV, CL, SN, SC,PL, PGO, FRC, BC, OS TAURAS, V.7, O.S.A.l, U.P.P, C.P.C, A.L, P.C.Pr, P.C.L.ms, D.G, BPj, B.C.cuia, C.V.mt, A.L.ro, C.P.ro, B. dos 13; 3º CP; Carecas do ABC; Comando da Paz; CRBC, Máfia do Lixo, Esquadrão da Morte. ssistidos pela Depen, “Pastoral Carcerária, ” e ONGS; e ocupados em matar, assaltar, estuprar, sequestrar;

d) bandidagem empresarial terrorista aninhados no BNDES e cofres púbicos e compostos da: Odebrecht, OAS, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, UTC Engenharia, Camargo Correia, Engevix,Brf Brasil Founds S.A, Seara Alimentos S.A, JJZ Alimentos S.A, Madero Ind. Com. S.A, TouyoSetel Engenharia, Mendes Júnior Trading E. S.A, Anglo, SwitBck, J&F, Vigor, Flora, Canal Rural, Banco Original e Cabana Los Lilas, Armour, Pite, AspenRidge, King Island, Moy Park La Herencia, PibgrinsPride, EPE, Havan, FRIBOI, JBS, BNDES, TV GLOBO, dentre outras. Como o corpo de delito do País registra e está espelhado pelas: “Operação Lava Jato,” “Operação Carne Fraca,” “Operação Catilinária,” “Operação Castelo de Areia,” “Operação Patmos,” Operação Boca Livre, “Operação Recomeço,” Operação Turbulência,” “Operação Acrônimos,” Operação Zelote,” “Operação Custo Brasil,” “Operação Lucas,” dentre outros.

ISTO POSTO,

Ficam as instituições signatárias invocadas à proteção do POVO NO EVENTO CÍVICO QUE, POR FESTA COMEMORATIVA DE TRABALHO inicia a instalação do Brasil no canteiro de obras de construção da civilização que a Constituição projeta. Para cuja responsabilidade constitucional que pesa às instituições signatárias invocadas, o POVO EM FORO DE SOBERANIA ratifica o seu dever constitucional de recuperação das Instituições esbulhadas e penhora a sua confiança na Polícia Militar do Distrito Federal e na Polícia Federal. Certo de que, qualquer tipo de insubordinação à esta convocação, sofrerá consequências disciplinares perante a Justiça Militar e Justiça Federal que integram o COMANDO DA INTERVENÇÃO; vez que, estão sob o comando e autoridade do povo no exercício direto do poder, porque o contexto político NÃO EXCLUI NENHUM GOVERNADOR E NINGUÉM DO ESTADO DE LEGÍTIMA DEFESA EM QUE O POVO ESTÁ JUNTO COM SUAS FORÇAS ARMADAS E SUAS POLÍCIAS MILITARES, CIVIS E AGENTES PENITENCIÁRIOS. NO ROUBO DO PÁIS, MASSACRE DA NAÇÃO E DESTRUIÇÃO DA PÁTRIA QUE ELES EMPREENDEM COMO SISTEMA DE PODER E FORMA DE GOVERNO.
E, como o evento não tem dia para encerrar-se fica a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, com a Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal REQUISITADAS para guardar e proteger o CENÁRIO QUE ABRIGA O EVENTO, ora em notificação de montagem no local informado, o qual, até o final do evento integrará o PATRIMÔNIO PÚBLICO CÍVICO DO POVO BRASILEIRO COM O DISTRITO FEDERAL.

Requisita a Polícia Federal do Senado e Câmara dos Deputados para acolhimento do povo às dependências do Congresso Nacional, após a votação da “denúncia” contra o meliante Michel Miguel Elias Temer Lúlia que, com Rodrigo Maia e Eunício Oliveira esbulham a Instituição da Presidência da República com usurpação do respectivo cargo público, à Sessão Constituinte do art. 78 da Constituição, se persistir a extinção do quórum do Congresso Nacional feita pela composição do Senado Federal com 61 senadores no golpe de estado do “impeachment da Dilma,” ratificado pela Câmara com 263 deputados na “denúncia contra o Temer” por onde as duas instituições” transformaram a democracia em cleptocracia e o País num sindicato de ladrões” em formação de corporação terrorista com o mesmo na tirania oligárquica comunista fundamentalista transnacional corporativa terrorista de bandidos que submete o povo brasileiro à guerra convulsional terrorista de massacre da nação camuflada no espetáculo do “combate à corrupção, desvio de verbas públicas, lavagem de dinheiro e evasão de divisas,” no qual engendraram a mais estupenda modalidade de assalto à massa falida em que deixaram o País, pelas “denúncias contra o meliante Michel Temer como presidente da República,” por duplicidade de fórum que, já na primeira, rendeu o roubo direto de mais de R$ 15 bilhões e as habilitações indiretas de aumentos salarias de promotores e magistrados; e, na segunda, já iniciou com o assalto de mais de R$ 3 bilhões pela modalidade de “liberação de verbas parlamentares” e de “saques do Pis Pasep.” E, em cuja situação, a Polícia Federal do Senado e da Câmara tipificam-se corporação terrorista de capachos de bandidos ladrões apátridas , covardes e desqualificados em massacre do povo que paga os seus salários milionários, enquanto está sendo dizimado nos corredores de extermínio do SUS; no campo do banditismo comum e em toda a parte. O que tipifica estado de legítima defesa da nação, contra as instituições policiais que se posicionem assim.
Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF, 03 de outubro de 2.017

COMANDO DA INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO
Celio Evangelista Ferreira do Nascimento – Antônio Hamilton Martins Mourão – Forças Armadas – Polícia Federal – Procuradoria Geral da República – Justiça Federal – Polícias Militares – Polícias Civis – Agentes Penitenciários - Ordem dos Advogados do Brasil – Justiça Federal

Última modificação emSegunda, 25 Junho 2018 14:56
(0 votos)
Ler 1098 vezes

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Log in