Apresentação de Governo
por Portal do Planalto — publicado 10/08/2011 14h07, última modificação 27/10/2013 08h29 Roberto Stuckert Filho/PR

Apresentação de Governo

"...O Ministério da Justiça e Segurança Pública vai ser substituído pelo Conselho da República de Segurança Pública e Integração Social equipado com o Sistema “Price Track” e suplementado pela Inteligência do Exército para cuja chefia estão selecionados, o dr. Wantuir Francisco Brasil Jacini, o Gen. de Ex. Sergio Westphalen Etchegoyen e o procurador da república Carlos Fernando dos Santos Lima". Continua....


 

DO: POVO BRASILEIRO PELO COMANDO DA INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO.
PARA: CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA – CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO COMÉRCIO – CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA AGRICULTURA.


NOTIFICADO AOS PODERES CONSTITUCIONAIS: CÂMARA DOS DEPUTADOS – SENADO FEDERAL – PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA – SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.
Senhor “Presidente da Corporação Mandatária que Esbulha a Câmara dos Deputados, em sede de Processo Histórico no Foro de Soberania.
Senhor Presidente da Corporação Mandatária que Esbulha o Senado Federal, em sede de Processo Histórico no Foro de Soberania.
Exmo. Senhor “Ministro” da Secretaria de Segurança Institucional da Presidência da República, Gen. de Ex. Sergio Westphalen Etchegoyen, em sede de Processo Histórico no Foro de Soberania.
Exma. Sra. Min. Presidente do Colegiado Magistral do Supremo Tribunal Federal em sua esfera de Corte Constituinte em sede de Processo Histórico no Foro de Soberania.


   O POVO BRASILEIRO formado pela tríade constituinte originária: Nação-Território-Soberania, autoproclamado no Preâmbulo da Constituição em Poder Constituinte, denominado nela de cidadania, pelo qual se institui em Estado Democrático de Direito no art. 1º caput e incs. I,II e Parágrafo único, com o art. 4º incs. I,III da Constituição, e se constitui em Ente Político de civilização, distribuído em organização federativa pela mesma, através das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; bifurcado em: a) poder político constitucional rotativo indireto nos partidos políticos no art. 1º incs. II,V e Parág. único, com o art. 14 incs. e §§ e art. 17 incs. e §§, art. 27 § 1º, art. 28, art. 29 inc. II, art. 46, o art. 76, e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Mandatário composto do Presidente e Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado Federal e Presidente do STF; b) força militar constituinte permanente direta, formada das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III, o art. 84 incs. XIII, e o art. 142 com o art. 91 inc. VIII e o art. 80 da Constituição, no Colegiado Constituinte, composto dos Comandantes Superiores da Marinha, Exército e Aeronáutica; com personalidade jurídica instituída no art. 2º e arts. 18, 20, 21, 22 da Constituição na UNIÃO FEDERAL, CNPJ nº 29.979.036/0001- 40, sediada no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Brasília/DF;  

     em FORO DE SOBERANIA pelo exercício direto do poder nos termos do art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. I, II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art. 37 caput, o art. 84 inc. XIII, com o art. 142 e o art. 77 §§ 1º, 2º, mais o art. 144 caput e incs. I, V, §§ 1º, 6º da Constituição, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001, e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, com o Decreto n. 5.639 de 26.12.2005, e o Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, face estar presente no corpo de delito do País a RAZÃO DE ESTADO, CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO, ASSALTO AO PODER PELO FORO DE SÃO PAULO, FALÊNCIA DO PAIS e CAOS SOCIAL, que rompeu o Estado Democrático de Direito na fusão do voto com a bala no mandato-patentes de Presidente da República e extinguiu eficácia à Magistratura de Estado desprovendo o Processo Histórico de regência institutiva, dando emersão ao Povo em Foro de Soberania, na qualidade de equipamento constituinte de autodefesa da Constituição e de legitima defesa social, política, econômica e histórica da nação;

     em que ele se opera com a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO, instaurada, recebida, aceita e homologada pelos poderes constitucionais, instituições e entidades públicas, no procedimento constante dos PROTOCOLOS: STF Pet 142098/08.10.2008, STF 0038341, 29.2.2012, PR CODIN/POT/19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SF; CFA 117.419 29.02012 30.05.2012, 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/ MS 335.005016/2013-61 28.01.2013; PO 1300820-7.2.2013/ACFA: DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59 – COGER/DPF; 08200.008079/2013-03; 08200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-R 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 07443 /2014 – 00007787/2014 R 02.05.2013; MPF/MS- 0000744/20 14; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 000 07 443 /2014 – 00007787/2014 – A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198- 30.9.13; SPF 08335,006262/ 2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, PGR 10058/2014. STF SF 82200437/2014; STF PE 6197258220; ACFA PE 513259353JH; STF PE 513269996JH; STF PE 619725820JH; PRM-CAC-PR 10058/2014; PR PRM-CAC-PR 00010318/2014,   para:   RECUPERAR A SUA VOCAÇÃO DE LIBERDADE; RESTAURAR O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO; RESTABELECER A UNIDADE DA NAÇÃO; REENCAMINHAR O PAIS PARA O TRABALHO e RECONSTRUIR A SOBERANIA DO BRASIL; tendo por objeto abrangencial a instalação do Brasil pelo PROJETO AMAZÔNIA – Soberania, Poder e Riqueza pelo caminho da roça, que traz a ECONOMIA TRABALHISTA EDUCATIVA pelo COOPERATIVISMO DE ESTADO composto de iniciativa privada e governo, campo e cidade, empreendendo o trinômio patrimonial originário: HOMEM-TERRA-NATUREZA para o PROGRESSO visando QUALIDADE DE VIDA;
     

     aqui personificado pelo COMANDO DA INTERVENÇÃO formado do cidadão Celio Evangelista Ferreira do Nascimento, brasileiro, jurista, título de cidadania outorgado pelo art. 14 inc. II, b, da Constituição, cadastro eleitoral nº 0038.4759.0647/Brasília-DF, filiação partidária 011745991910/PMDB, CPF nº 198.285.009-49, RG 788947/MS, endereço operacional no Quartel General do Exército – SMU, Brasília/DF; e endereço de expediente: telefone 61 98238-24.15, com as Forças Armadas, Polícia Federal, Polícias Militares, Polícias Civis, Agentes Penitenciários, Ordem dos Advogados do Brasil, Ministério Público Federal, Justiça Federal e lideranças da nação,
   observou todas as cautelas no exercício da Instituição da Cidadania, tanto no âmbito do poder constitucional que deve ser operado pelas instituições instrumentalizadoras dos poderes constitucionais no Estado Democrático de Direito que se distribui pela ordem jurídica e o regime democrático sobre o Processo Social no Foro Judiciário, e é socorrido na esfera do poder constituinte que é operado diretamente pelo POVO em reação de cidadania no Processo Histórico no Foro de Soberania, e chegou ao desfecho buscado desde início com a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO tipificada por inequívoca constitucionalidade, legitimidade, necessidade e imperatividade,


      CONTRA


   o “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil Em 22 Anos” que se consolidou na TIRANIA OLIGÁRQUICA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA TERRORISTA CORPORATIVA TRANSNACIONAL DE BANDIDOS composta da:
   

     a) bandidagem no poder alojados nos cofres públicos e instalados nas Instituições pelo: PMDB, PSDB, PT, DEM, PCB, PC do B, PTB, PDT, PSB, PPL, PTC, PSC, PMN, PRP, PPS, PV, PT do B, PR, PSTU, PRTB, PHS, PSDC, PCO, PTN, PSC, PRB, PSL, PR, PSD, PROS, SP, PMB, PP, PRTB, REDE, PODE, PATRIOTAS, supridos pelos “especialistas,” “intermediadores,” “negociadores” e “mefíticos” de toda a espécie, que estão espalhados por todo o tecido institucional e todas estruturas operacionais da República e iniciativa privada, e ocupados em: a) roubar o Pais, b) massacrar a Nação, c) destruir e vender a Pátria;
     b) bandidagem terrorista transnacional, alojados no “projeto Pátria Grande” e instalados no terrorismo corporativo sem fronteiras pela: URSAL, UNASUL, URC, ESAD, G-20, BRICS, FAO, OTSC, CEI, OCS, ECVCNB, no MST, CUT, MSTA, CEMIG, CONTAG, Via Campesina, MLST, MAB, MIR, ELN, EZ, APINB, ARPIN-Sul, COIAB, APOINME, CIR, ABA, IEB, CTI, CUIA, Sindicatos, Hamas, Taleban, Al Qaeda, Jihads, Hesbollah, Boko-Haran, Al Shebab, Estado Islâmico; Foro de São Paulo; Instituto Lula; Escola Sul-Americana de Defesa; Unidade de Coordenação Eleitoral; Exército Bolivariano; ocupados em destruir a organização constitucional do mundo, apodrecer a civilização e desestabilizar e dispersar a humanidade;.
    c) bandidagem de campo alojados no “fome zero” e criminalidade quadrilheira, organizados em: PCC, CV, FDN, TCC, CRBC, CDL, SS, DCMS, TC, ADA, IDI, AJ, AD, B.dos 40; PCN; ER; 300 Esp.; PCM; ERam; B. dos 300; CC; GDA; PCM; BI; PGE; B. dos 40; ADM; COM; B.dos 300M; PCM2; PCE; CP; BM; KATIARA; CPr; CAVEIRA; CMO; PJ; PCMpr; PCMG; MP; PI; PCU; CJUC; GF, CDLcr, PGC2, PCRV, CL, SN, SC,PL, PGO, FRC, BC, OS TAURAS, V.7, O.S.A.l, U.P.P, C.P.C, A.L, P.C.Pr, P.C.L.ms, D.G, BPj, B.C.cuia, C.V.mt, A.L.ro, C.P.ro, B. dos 13; 3º CP; Carecas do ABC; Comando da Paz; CRBC, Máfia do Lixo, Esquadrão da Morte. Assistidos pela Depen, “Pastoral Carcerária,” e ONGS; e ocupados em matar, assaltar, estuprar, sequestrar;
     d) bandidagem empresarial terrorista aninhados no BNDES e cofres púbicos e compostos da: Odebrecht, OAS, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, UTC Engenharia, Camargo Correia, Engevix, Brf Brasil Founds S.A, Seara Alimentos S.A, JJZ Alimentos S.A, Madero Ind. Com. S.A, Touyo Setel Engenharia, Mendes Júnior Trading E. S.A, Anglo, Swit Bck, J&F, Vigor, Flora, Canal Rural, Banco Original e Cabana Los Lilas, Armour, Pite, Aspen Ridge, King Island, Moy Park La Herencia, Pibgrins Pride, EPE, Havan, FRIBOI, JBS, BNDES, TV GLOBO, dentre outras. Como o corpo de delito do País registra e está espelhado pelas: “Operação Lava Jato,” “Operação Carne Fraca,” “Operação Catilinária,” “Operação Castelo de Areia,” “Operação Patmos,” Operação Boca Livre, “Operação Recomeço,” Operação Turbulência,” “Operação Acrônimo,” Operação Zelote,” “Operação Custo Brasil,” “Operação Lucas,” dentre outras.

    Com essa organização a bandidagem respectiva inventou o “socialismo monetarista de Estado sem economia” que alojava o emprego no consumo fiado e a produção no multiplicador bancário alimentado por emissões de real frio e parcela do dinheiro do terrorismo islâmico captado através das bolsas; com a economia transformada em alojamentos da bandidagem terrorista no Estado pelos campos de atividades componentes do crime organizado no governo operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras; por onde transformaram a democracia em cleptocracia e o País num sindicato de ladrões, com bandidos escondidos atrás de mandatos inventando leis para bandidos escondidos atrás da toga manter o terrorismo acordado como sistema de poder e a corrupção e roubo partilhado como forma de governo; com seu parque industrial de destruição da família, desagregação da sociedade, desintegração da nação e apodrecimento moral da civilização; no qual sobressai a indústria “Maria da Penha” de transformação de esposas em prostitutas, maridos em cafajestes e filhos em bastardos, que tem até um “ministério secretarial” exclusivo; a indústria de extinção do ente conjugal com os filhos erigidos em inimigos dos pais, protegidos com a legítima defesa putativa, se estes quiserem educa-los e ensiná-los trabalhar;” a qual se distribui por um portentoso campo de rendas no Estado de “conselho tutelar,” “delegacias de infância e juventude,” “justiça de infância e juventude,” “promotorias de infância e juventude,” “fiscalizações de infância e juventude,” “abrigos, serviços e assistencialismo de menores desassistidos,” “casas de internamento de menores infratores,” “políticas públicas de menores, infância e juventude,” enfim, um campo que aloja uma massa de vadios, psicopatas, esquizofrênicos e bandidos; a indústria de degeneração da nação pelas escolas públicas transformadas em bordéis de iniciação das crianças na prostituição, cafajestismo, vício, vadiagem e marginalidade; a indústria de destruição intelectual da nação pelas universidades transformadas em antros de tráfico de drogas, vício, prostituição, emburrecimento e acovardamento dos “doutores” fabricados para integrarem o banditismo terrorista como serviçais, capachos, propaladores, puxa-sacos, esmoleiros e mefíticos; a poderosa indústria da sindicalização ideológica marginal alojada na folha de pagamento da iniciativa privada e no erário público; as diversas “indústrias ideológicas” da “geração de rendas” da baderna social de empregados contra patrões, pobres contra ricos, sem terras contra os proprietários, analfabetos contra eruditos, pretos contra brancos, mulheres contra os homens, estudantes contra os professores.
      Esse composto em ebulição partidária, sindical, ongs e associações, gera o “monetarismo da marginalidade comum” em prosperidade de 1.638% de 2.003 a 2.016, produzindo 117 milhões de encrencas na justiça entre 93 milhões de pessoas da população economicamente ativa; e congrega a criminalidade com a repressão, justiça e encarceramento nos cofres públicos mantidos por impostos; na qual juntando o tamanho do aparelho repressor que tem sua ostentação de riqueza sem lastro econômico no Ministério Público, Defensoria Pública, Justiça Pública e Advocacia Geral da União com as mais de 50 mil agências cartoriais de governo e os mais de 150 mil alojamentos de vadios no erário público, com o aparelho assistencial ao crime, se tem 1/3 do volume econômico do País diluído pelo Estado; somando isso com o tamanho político do Estado que é 9,8% maior do que a iniciativa privada, mais os prejuízos disso decorrentes, se chega ao volume de rendas do “socialismo monetarista de Estado sem economia” de 105,7% do PIB, mostrando a fonte do déficit público bruto global de mais de R$ 7 trilhões; no qual a dívida privada já ultrapassa R$ 2,4 trilhões, com a inadimplência irrecuperável no consumo fiado de 43%; donde surgiu a depressão econômica do Brasil que o reduziu a uma massa falida de 1/3 do seu tamanho econômico em 2003/2006, o qual foi alcançado pelo “Plano Real.” Cuja depressão econômica veio à tona com a “crise financeira” que se originou da denúncia feita aos foros internacionais do crédito, e ao FMI, do “socialismo monetarista de Estado sem economia” construído e mantido por falcatruas contábeis, estelionato estatístico, renúncias fiscais estelionatárias, estelionato de preços públicos, estelionato de consumo, contabilização de dívidas públicas renegociais como crédito e contabilização de exportações inexistentes, por onde fabricavam ativos líquidos nos balanços de pagamento para:
                1) Recolhimento do dinheiro do terrorismo islâmico pelas bolsas, através de títulos públicos e captações por ações no jogo especulativo; o qual, pelo BNDES financiava governos e o parque de obras do terrorismo nos 23 países membros da organização, como pelo FCO financiava o agronegócio e “acudiu Michel Temer” na compra de deputados federais para a sua subtração à justiça (art. 5 caput da Constituição) na denúncia que sofreu, pela modalidade de “negociação e perdão de R$ 5 bilhões de encargos públicos ao setor; e pagou adiantado pela modalidade de “perdões de dívidas” os alugueres de 28 mil terroristas que adentraram o Brasil, a 13 países produtores deles que entrariam por Cuba, via Venezuela, como “haitianos,” e eram abrigados nas empresas vinculadas à bandidagem no Estado, pelo “Programa Minha Casa Minha Vida,” PAC e fornecedoras de implementos e insumos para os poderes públicos; e, por uma organização montada no Ministério das Relações Exteriores e no Ministério da Justiça, que “transformava em brasileiros empregados e funcionários da Petrobras,” os terroristas destinados à invasão dos EUA pela “Refinaria de Pasadena.”
             2) Emissões de real frio para manutenção de lastro metálico em contas correntes para os bancos fazer o fluxo de caixa da economia pelo multiplicador bancário que mantinha o consumo fiado abrigando o emprego e a produção de consumo mantendo a arrecadação tributária. Era a roda do consumo/produção girada por emissões frias sobre ativos líquidos fictícios, que passavam pela iniciativa privada e voltavam ao Tesouro onde eram contabilizadas como impostos, taxas, emolumentos, custas, multas, juros, encargos e lucros, fazendo base à nova construção de ativos líquidos. Isso se acumulava em dívida pública e dívida privada e comia o suporte patrimonial da economia através da popularização pulverizadora das atividades empresariais, e das recuperações de crédito, falências, fusões e incorporações de empresas. E, ao invés de produzir o crédito de expansão do progresso para qualidade de vida, gerou a concentração de renda afunilada para baixo, onde, no fundo do abismo em que resultou o Brasil, estão 164 bilionários que triplicaram suas fortunas no “socialismo monetarista de Estado sem economia,” que explora a fome, o vício, as doenças, o analfabetismo e a passividade masoquista da nação. Bem apresentado pelo “aerolula de R$ 1,5 milhão de custo para o erário público, só no seu suprimento de rancho aéreo para o meliante Michel Temer; e pelas “12 arenas de futebol” e “Vila Olímpica” retratando a concentração de renda somada com a corrupção no roubo do País em mais de R$ 36 trilhões, que daria para se construir um Brasil uma vez e meia ao seu tamanho econômico atual.
             3) A substituição do ESTADO ECONÔMICO EMPRESARIAL DE TRABALHO, produção, lucro e expansão econômica que havia sido construído de 1964 a 1985, pelo modelo político ideológico-marginal de gastos, camelódromos, mascates e ambulantes, consumo, vadiagem, tráfico, desperdícios, gastança e irresponsabilidade bem mostrado pelas 1.384 milhão de obras públicas paralisadas, suspensas, abandonas e depredadas pelo Basil a fora; além do estado de depredação física em que está o que resta do País, já sem armazéns, sem leito viário, sem terminais de embarques, sem energia e excluído do crédio internacional; eliminando 94 pessoas por dia pela tortura terrorista dos corredores de extermínio do SUS; 53 mil pessoas eliminadas por ano pela tortura terrorista dos corredores de extermínio do trânsito; 16,1 milhões de pessoas nos corredores de extermínio pela tortura terrorisa do desemprego no País falido.

      E a bandidagem terrorista continua determinada no roubo do País, massacre da Nação e destruição da Pátria. Ao invés de empreenderem o País por um plano nacional de reintegração da força empresarial ao progresso para reabsorver a força de trabalho no emprego pelo crescimento da economia, se recompuseram após o susto da “crise financeira,” pelo ajustamento do roubo do País à massa falida, através de “ajuste fiscal” que, só das Forças Armadas roubou 44,6% do seu orçamento, sendo, só em 2015, R$ 5 bilhões e R$ 7,8 bilhões em 2.016; mais “contingenciamentos,” “suspensão de investimentos públicos,” triplicação da carga tributária em forma de aumento de preços públicos, multas, pedágios, gastos de todos os fundos e reservas monetárias incluindo FGTS, PIS, Pasep.
     A “política econômica” da bandidagem terrorista cinge-se à dinâmica financeira da gastança, porque o “modelo político” de submetimento da nação ao suicídio de consumo se circunscreve à manipulação governamental do composto humano do País em suicídio existencial com todos furtando a todos, todos traindo a todos, todos mentindo para todos, formando um contexto de civilização uniformemente podre; com a marginalidade submetida à magistratura que está submetida ao Conselho Nacional de Justiça e ao Conselho Nacional do Ministério Público vigiando o respectivo volume de marginalidade magistral e ministerial, sobre o qual a Corregedoria Nacional de Justiça denunciou no veredicto proclamatória da Min. Eliane Calmon, que: “bandidos se escondem arás da toga e vagabundos se impõe pela intimidação na mercadejação forense de sentenças.” E nesse decomposto irracional, ilógico, desvairado, estão os advogados juízes e promotores somados com os médicos, bioquímicos biólogos, economistas, administradores e educadores como vermes do esterco agrupados na fermentação do charco dando vigor à agonia do suicídio existencial que se identifica pela quebra da Previdência, o abarrotamento demandatário da justiça e a falência do País.
      E desprovidos de lucidez para enxergar isso, a bandidagem terrorista no poder continuam na recuperação do “socialismo monetarista de Estado sem economia” na massa falida do País, com quatro objetivos:
     1) Resolveu a inflação pelo desaparecimento natural da evolução dos preços, que acontece pela diminuição de 2/3 do tamanho da economia de consumo que se reduziu a 1/3 da massa falida do País; a qual eliminou a fatia de 16,1 milhões de consumidores desempregados do consumo fiado; eliminou do consumo à vista a fatia dos inadimplentes que reduziram os gastos para “limpar o nome;” eliminou da dinâmica dispersa do consumo de recreações, entretenimentos, shows e badernas a fatia que gera o dinheiro sem assento nas atividades econômicas, mas que alteram as estatísticas dos preços. E então, a FGV, que não tem mais orientação estatística da economia, porque nem esta não existe mais, registra as erupções de preços provindas da anemia profunda da massa falida em seus estertores empresariais de sobrevivência.
     2) Entupiu as bolsas de ações desvalorizadas pelo sufoco financeiro das empresas, gerando a duplicação e triplicação de fortunas da bandidagem com a compra delas nas bolsas. Pois, no mesmo tempo em que o dinheiro roubado que entra pelas ações desafoga o meio empresarial, ele também recupera os ativos líquidos das empresas aumentando-lhe o valor patrimonial que duplica e triplica o dinheiro do terrorismo e o dinheiro do roubo do pais que foram transformados em ações.
      3) A bandidagem terrorista repatria o dinheiro roubado do País que está escondido lá fora, sem sofrer as sansões penais e sem abrir pista à perseguição policial. E assim, através das ações, legalizam o produto do roubo e roubam de novo, com ele, o País, pela valorização das ações que, com a injeção de capital nas respectivas empresas, dobra e triplica seu valor.
    4) Inventaram estatística publicitária para o larápio Michel Temer, anunciar à nação a “recuperação da economia mostrada pelo surpreendente índice de negócios na Bovespa.” Não sendo, entretanto, genialidade da bandidagem terrorista brasileira, porque em quase todas as republiquetas do 3º Mundo os ditadores, déspotas e tiranos usam desses expedientes para enganarem suas nações e aumentarem artificialmente suas fortunas E, quanto o embuste, basta lembrar-nos que, só louco que rasgue dinheiro investiria numa massa falida em despojo pela mesma bandidagem, ladrões e terrorista que faliram o País.
     Assim, a bandidagem terrorista no poder funde-se com os “doutores” de todas as cátedras pelo imaginativismo político embusteiro e mentiroso somado com a verborragia doutoral sem conteúdo racional próprio que acrescente o grau pedagógico galgado, sem lucidez que projete a sensibilidade atrofiada para fora dos condicionamentos agregacionais imperantes; sem coerência, sem lógica, sem clareza, sem autoridade intelectual que acrescente raciocínios desbravadores do existencialismo humano e rompa os padrões, os paradigmas e os manuais restritivos da ilimitação da inteligência humana que dividem a nação no diminuto bloco da concentração de renda, hoje, composto dos banqueiros e dos exploradores da fome, da doença, do vício e da ignorância, e na imensa massa produtora da renda amontoada nos corredores de extermínio da tirania oligárquica comunista terrorista fundamentalista de bandidos. E assim resulta a civilização brasileira desprovida de inteligência que rompa as limitações das formulações pedagógicas ultrapassadas pela dinâmica da procriação e projetem a nação para fora da sua decomposição política, religiosa e educacional; não negando a fé, os valores, os símbolos, a história e as tradições que estruturam o Edifício Nacional, como quer o comunismo, mas sim, implementando as conquistas pedagógicas que o acervo de conhecimento armazenado oferece, com a expansão de consciência para campos mais profundos da Inteligência da Criação, como a Constituição assegura em seu art. 1º inc. II e Parág. único com o art. 3° incs. I/IV e o art. 5º incs. IV, VI, IX. Despertados da degeneração pedagógica e ressurgidos do imaginativismo verborreico pelas lições da História mostrando que o existencialismo da humanidade é evolutivo, dinâmico, que, ou avança desbravando caminhos aos horizontes dos ideais que o complexo de necessidades não cessa de projetar, ou degenera e apodrece o meio ambiente existencial pela compactação da inteligência. Por onde vemos que as organizações institucionais das nações não são definitivas, mas sempre que o processo das transformações sociais prevalece sobre as formulações de cátedras esgotadas, e as instituições resultam invadidas pelas populações residuais do respectivo edifício social, as civilizações reformulam suas organizações institucionais. Porquanto, a História nos ensina, desde seus registros fósseis, que a Vida Civilizada é cíclica: Nasce das Escolas Iniciaticas; instala o progresso pelo suporte formulatório que acrescenta ao desenvolvimento evolutivo da espécie; atinge seu apogeu de cátedras; entra em declínio doutrinário; instala o conflito entre as necessidades da expansão demográfica descoberta de abrigo econômico no padrão de sobrevivência produzido; sofre a eclosão do processo das transformações sociais; entra em estágio de transição do tempo vencido para um outro “primeiro dia da criação” e, pelo conflito social implode a vertical do desenvolvimento evolutivo e desmorona o Edifício Nacional misturado analfabetos com eruditos, marginas com magistrados, bandidos com beatos, em cujo contexto, a população residual emergida dos abismos da civilização vencida sobe às cúpulas da sociedade, se sobressai à nação e atinge o poder, quando a passagem da civilização vencida para a civilização emergente não ocorra por guerra civil. É o caso da civilização brasileira que chegou a esse desfecho pelo “Ideário da Revolução de 64” que dividiu o projeto de “Brasil Mega Potência do Mundo” que a instalara, em três períodos: o 1º, de 1964 a 1985 de construção física do País, com especial empenho no campo do suprimento de energia, de armazéns, transportes e equipamentos; de 1985 a 2.014/2.016, de absorvimento da bandidagem comunista terrorista na baderna política reinstalada com a Lie 6.683/79, para que ocorresse o auto expurgo da civilização pelo suicídio de poder da bandidagem, e, em 2.015/2017 a instalação do Brasil na construção da civilização que encerrasse o seu período colonial de subdesenvolvimento que iniciara do ano e 1.500 até ai.
     Sobre esse suporte fático plenamente registrado no corpo de delito do País e fartamente comprovado pelas operações policiais e processos penais que abarrotam a justiça penal, a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO em Foro de Soberania, instalou pelos ataques anexos a reintegração da Instituição da Presidência da República à União, que implica na prisão do esbulhador: Michel Miguel Elias Temer Lúlia e posse no respectivo cargo do cidadão titular constituinte Celio Evangelista Ferreira do Nascimento, que patrocina a INTERVENÇÃO desde 2.004 quando iniciou a reação de cidadania com as CPIs dos Correios e do Mensalão que produziram a AP 470. Sobre a qual desfechou o PERSECUTÓRIO INSTITUCIONAL DE ESTADO distribuído por blocos indiciários a partir da “Operação Lava Jato.” Porquanto, a bandidagem terrorista havia construído um armagedom no Brasil através da Fusão do Foro de São Paulo, Instituto Lula e LILS com as organizações terroristas, compostas dos quatro grupos retro identificados. Situação que, se fosse atacada por confronto desfecharia uma guerra transnacional terrorista, porquanto, o País já estava em guerra civil convulsional terrorista de massacre da nação; e por isso, a tirania oligárquica comunista fundamentalista terrorista transnacional de bandidos foi transformada em caso de polícia, situado na área da Segurança Pública, ao encargo da Polícia Federal e Procuradoria Geral da República. E, após 13 anos de desempenhos procedimentais forenses perante os poderes constitucionais, instala-se o evento perseguido que é: a instalação do Brasil no canteiro de obras de reconstrução e construção da Pátria pelo PROJETO AMAZÔNIA – Soberania, Poder e Riqueza pelo caminho da roça, que vem com a ECONOMIA TRABALHISTA EDUCATIVA, empreendida pelo COOPERATIVISMO DE ESTADO composto de iniciativa privada e governo, campo e cidade, transformando a tríade patrimonial: HOMEM-TERRA-NATUREZA de US$ 243 trilhões, em PROGRESSO para QUALIDADE DE VIDA. Cujo objeto econômico da INTERVENÇÃO implica no expurgo da bandidagem comunista fundamentalista terrorista da Instituição da Presidência da República e solução da vacância do respectivo cargo que está sem titular desde o dia 1º de janeiro de 2.015. Providência que o COMANDO DA INTERVENÇÃO instalou com a “denúncia de duplicidade de foros” contra Michel Miguel Elias Temer Lúlia, a qual ele transformou em agressiva modalidade de roubo da massa falida do País, de mais de R$ 15 bilhões na compra de 263 deputados para lhe subtraírem à ação da justiça pública, e assim revelou uma corporação terrorista formada desses deputados consigo, na prática de mais os crimes de corrupção ativa e passiva, suborno e peculato; após cujo evento, a Procuradoria-Geral da República denunciou Joesley Batista e Wesley Batista por omissões e obscuridades em sua delação premiada, que imediatamente resultou em “Comissão Parlamentar Mista de Inquérito” tendo o ESTADO como pivô de hipotética “engendração persecutória” que a respectiva corporação parlamentar imagina sobre gravação componente da delação premiada; sobre cujo rompimento institucional entre o colegiado mandatário transitório que esbulha a instituição da Câmara dos Deputados e o Estado personificado na Instituição do Ministério Público erigida no art. 127 da Constituição, o POVO NO EXERCÍCIO DIRETO DO PODER EM FORO DE SOBERANIA interveio na CPMI, sedimentando foro à 2ª denúncia da PGR que foi ajuizada em seguida. Nessa sequência, cumpre ao POVO PELO COMANDO DA INTERVENÇÃO

APRESENTAR A “EQUIPE ECONÔMICA” DO GOVERNO CONSTITUINTE INTERINO
DO BRASIL, COM OS ESCLARECIMENTOS CAUTELARES A SEGUIR.

1. A “EQUIPE ECONÔMICA” E/OU CONSELHO DE GOVERNO.


     O que hoje é denominado de “equipe econômica,” será chamado de CONSELHO DE GOVERNO DE ECONOMIA, FINANÇAS, ORÇAMENTO, ESTATÍSTICA E CONTABILIDADE agregando o aglomerado do Ministério da Economia, Ministério do Planejamento, Tesouro Nacional e Banco Central, com a extinção de todo o entulho cartorial de governo que foi inventado para dar fluxo ao roubo do País, e travou a expansão empresarial pelo emaranhado burocrático, custos cartoriais, custos de tempo e prejuízos institucionais.   
        Como o Estado será ajustado ao tamanho da economia do País, observando rigidamente a sua serventia para o progresso e o desenvolvimento, sob a regência do custo/benefício, e o Governo vai ser federativo informatizado nos três graus republicanos, com seu centro distributivo em Brasília/DF, os órgãos auxiliares da Presidência da República sofrerão redução funcional volumosa, descarregando seus efetivos na iniciativa privada. Então, a “equipe econômica” que orientará o programa de reintegração da força empresarial ao progresso absorvendo a força de trabalho no emprego se comporá do:
       Gen. de Ex. Antônio Hamilton Martins Mourão, no cargo de Conselheiro de Governo da Economia, substituindo o cargo de “Ministro de Estado da Fazenda” que será extinto.
     Dentre: os drs. Pedro Malan, Valdemar Horns, Eldor Sontag, Dras. Camila Cabral Pires Alves, Beatriz Azeredo, Valeria Lucia Pero, sairão os conselheiros de Finanças, Orçamento, Estatística e Contabilidade, substituindo os cargos de “Ministro do Planejamento,” “Presidente do Banco Central,” e “Secretário do Tesouro.”
       O Gen. Mourão será o Presidente do Colégio de Conselheiros do Conselho de Governo de Economia, Finanças, Orçamento, Estatística e Contabilidade. E terá sob seu encargo institucional a Economia, o Patrimônio e a Riqueza, no qual trabalhará fundido com a iniciativa privada através da CNI, CNC e CNA. Pois será o COOPERATIVISMO DE ESTADO composto de iniciativa privada e governo, campo e cidade pelo ESTADO ECONÔMICO PATRIMONIAL DE LUCROS ocupando a nação no progresso para qualidade de vida; enterrando para sempre o modelo político ideológico-marginal de gastos, roubo, massacre e destruição. E se acabará a economia cíclica de da rotatividade política, porque o governo e a iniciativa privada operarão o País fundidos.

2. A EQUIPE AUXILIAR NA MAGISTRATURA DE ESTADO.


     Haverá o Conselho de Administração Federativa para o qual estão selecionados o dr. André Puccinelli, dr, Jayme Lerner, dra. Terezinha Lamounir, dentre outros desse perfil e currículo. O qual se implementará de membros indicados pela iniciativa privada através de suas entidades organizacionais, de raízes na construção da Pátria, sem histórico político desabonador.
     O Ministério da Justiça e Segurança Pública vai ser substituído pelo Conselho da República de Segurança Pública e Integração Social equipado com o Sistema “Price Track” e suplementado pela Inteligência do Exército para cuja chefia estão selecionados, o dr. Wantuir Francisco Brasil Jacini, o Gen. de Ex. Sergio Westphalen Etchegoyen e o procurador da república Carlos Fernando dos Santos Lima.
    Para a Procuradoria-Geral da República estão selecionados os drs. Dalton Martinazzo Dalagnol, Jerusa Burmann Viecilli e Mônica Nicida Garcia. Isto porque Raquel Dodge ao aceitar escolha e nomeação pelo meliante Michel Temer, bandido em flagrante delito de esbulho da Presidência da República e usurpação do respectivo cargo, na prática do roubo do País, massacre da Nação e destruição da Pátria, assim exposto por vasto currículo penal perante a Justiça Eleitoral, STF, Polícia Federal, Ministério Público Federal e Câmara dos Deputados, se tornou passível de prisão com ele e as suas quadrilhas por formação de corporação terrorista na consolidação da tirania oligárquica comunista fundamentalista corporativa transnacional terrorista de bandidos, na qual responde pelo estado de guerra convulsional terrorista de massacre da nação que o corpo de delito do País expõe, a situação da civilização brasileira comprova e o Aparelho Repressor do Estado registra.
      A Advocacia Geral da União será preenchida, em sua totalidade, pela Ordem dos Advogados do Brasil, ad referendum do Presidente da República.
     A Instituição da Presidência da República será enxugada, informatizada e regida pelo exposto saber, cultura e intelectualidade sob a lei do custo/benefício. Operada inteiramente por sistema informatizado sob a supervisão de profissionais de envergadura máxima, já selecionados.
    O Colegiado da Magistratura de Estado será composto dos 7 Conselhos de Governo, do Conselho da República de Segurança Pública e Integração Social, da Advocacia Geral da União, da Procuradoria Geral da República e da Agência Brasileira de Inteligência, Informação e Coordenação Funcional do Estado, presidido pelo Presidente da República. E suas decisões terão efeito de Orientação Normativa de Execução da Constituição em todo o âmbito de meio ambiente existencial e no Processo Histórico.
     A Administração Governamental e os serviços públicos se constituirão da MAQUINA OPERACIONAL DO ESTADO composta de equipamento e operadores, com os respectivos suportes de manutenção e implementos. E será objetiva, prática, ágil, barata e produtiva. Processando a vida pública do País e monitorando e orientando a sua vida privada.


3. SISTEMA FINANCEIRO.


      O Sistema Financeiro Nacional, integrado ao Conselho de Governo de Economia, Finanças, Orçamento, Estatística e Contabilidade, se constituirá da: 1) Previdência Social que será transformada em Sistema Financeiro Previdenciário com estrutura bancária de lastro metálico próprio, que receberá, também, a movimentação orçamentária da Administração Pública nos seus 3 níveis federativos; 2) Rede Bancária Privada.
      Vai se acabar o sistema financeiro especulativo, de dinheiro produzir dinheiro, abrigando contrabando, tráfico, prostituição, lavagem e evasão de divisas. O dinheiro vai produzir riqueza contra a pobreza o analfabetismo, a doença, o vício e a degradação do meio ambiente existencial.
   Vai ser restaurado o Sistema Financeiro da Habitação, cuidando da racionalização habitacional, da desconcentração populacional urbana e da urbanização do campo.


4. PROGRAMA BRASILEIRO DE EMPREENDIMENTO ECONÔMICO DE RECUPERAÇÃO DA NATUREZA.


      Esse Programa será instalado e executado pelo PROJETO AMAZÔNIA – Soberania, Poder e Riqueza pelo caminho da roça. Ao encargo da Universidade Ecológica Comunitária Confessional Amazônia –UNECCAM, com seu centro científico à recepção mundial da Ciência e seu campus universitário formado da Cooperativa Integral de Reforma Agrária Amazônia que instalará o canteiro de obras composto das éreas econômicas de: racionalização da agricultura para abastecimento da nação e do projeto brasileiro de suprimento alimentar do mundo; produção de carbono; recuperação da bacia fluvial e lençol freático; despoluição da atmosfera; reflorestamento hídrico de todas as regiões devastadas; reorganização da exploração mineral; cultivo e tratamento econômico da vida selvagem; exploração responsável da Amazônia; racionalização do consumo de petróleo; remodelação da indústria extrativa e metalurgia; desenvolvimento de motores movidos com outros tipos de energias; saneamento dos empreendimentos de forma a que seus efeitos negativos fiquem ao nível de absorvimento pela Natureza sem lhe causar danos. A Cooperativa de Logística e Integração Econômica Nacional, Expansão de Mercados e Assistência Técnica instalará o canteiro de obras de projetos, programas, contratos, logística de armazéns, transportes, terminais de embarques, fluxo de caixa e fluência dos negócios envolvendo a dinâmica econômica interna e externa do Brasil.
     O Estado participará com a oferta de linhas de crédito; política econômica externa; distribuição das áreas empresariais; garantia dos investimentos; assistência tecnológica. E à iniciativa privada estarão os empreendimentos. Assim que estiver solucionada a vacância na Presidência da República, o Governo, em sua investidura de Magistratura de Estado iniciará a instalação do PROGRAMA BRASILEIRO DE EMPREENDIMENTO ECONÔMICO DE RECUPERAÇÃO DA NATUREZA.
   O CONSELHO DE GOVERNO DE PRODUÇÃO PRIMÁRIA, NATUREZA E INFRAESTRUTURA, que substituirá os ministérios do Desenvolvimento Social e Agrário, Meio Ambiente, Integração Nacional e das Cidades, será o órgão de distribuição e encaminhamento das áreas econômicas desse Programa.

5. ALGUNS DOS ALOJAMENTOS DA ESTRUTURA DE SAQUEAMENTO DO PAIS QUE SERÃO EXTINTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA.


     Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES); Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA); Conselho Nacional de Política Energética; Conselho Nacional de Integração de Políticas de Transportes (CONIT; Comissão de Ética Pública; Assessoria Especial da Presidência da República; Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República Secretaria de Governo; Secretaria de Comunicação Social; Assessoria de Imprensa; Credenciamento; Agenda de Autoridades; Secretaria Especial de Políticas Para as Mulheres; Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos. Serão extintos o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle; Ministério do Turismo; Ministério de Meio Ambiente; Ministério da Integração Nacional; Ministério do Esporte; Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário; Ministério da Cultura; Ministério das Cidades; Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação. Para se ter uma ideia do tamanho da estrutura de assalto aos cofres públicos, na Instituição da Presidência da República basta mencionar que, para dar funcionalidade a ela, o Presidente da República não teria espaço em sua agenda, mesmo que desse expediente de 24 horas por dia, para despachar a metade do volume de trabalho que desfecharia diariamente eu seu gabinete. E, em um ano não haveria espaço no Palácio do Planalto para o armazenamento das respectivas pastas. Mas, alguém viu, nestes últimos 3 anos, o expediente presidencial despachado além da carta de Dilma para Lula instruindo-o no cambalacho de obstrução da justiça que haviam combinado? Tem as “medidas provisórias” de assalto à massa falida e a diarreia legiferante das corporações congressuais regulamentando o medo da “Operação Lava Jato;” e fora isso, se tem a movimentação presidencial da gigantesca compra dos 263 deputados para a formação da corporação terrorista para a realização do crime de subtração do meliante Michel Temer à ação da justiça, por mais de R$ 15 bilhões.
      Serão extintas da Administração Pública direta e indireta 50 mil serventias cartoriais burocráticas e 150 mil alojamentos da vadiagem votante que a bandidagem terrorista usa como preço e valor na dinâmica entre gangues, quadrilhas e corporações terroristas na partilha do País, pelas modalidades de “bases parlamentares, “governo participativo,” coalisão política,” “acordo de governabilidade” e quando a Polícia interfere contra o roubo do País e as recomposições quadrilheiras precisam se refazer por preços; como ocorreu com a denúncia contra Michel Temer, em cujo episódio entraram mais de 100 cargos e funções na composição do valor de acomodamento dos 263 deputados.
     O ajustamento do Estado ao tamanho econômico do País, sob a regência do custo/benefício que o COOPERATIVISMO DE ESTADO exige, dá uma economia já no Orçamento de 2.018 de R$ 1,1 trilhão. Sem computar-se os custos e gastos adicionais e os desperdícios naturais dessa estrutura de roubo.

6. O DÉFICIT PÚBLICO.


      O déficit público será solucionado em 180 dias após a posse do Presidente Constituinte Interino da República no cargo. Primeiro, porque o Brasil, sem ladrões no poder tem condições de fazer isso; segundo, porque, sem a sua reabilitação de crédito não há como encaminhar sua recuperação econômica no grau de condições adversas que se deparam ao País. Por sua natureza de “reserva de Estado,” a solução dessa questão ainda não está ao domínio público, embora a INTERVENÇÃO seja promoção do povo.
      E porque é interinidade constituinte? Porque, como o Superior Tribunal Eleitoral fixou no veredicto proclamatório do seu Presidente Min. Gilmar Mendes e na decisão na “ação de cassação de mandato de Dilma/Temer” não há mandato eletivo investindo Dilma Rousseff/Michel Temer, e sim, uma corporação terrorista de bandidos ladrões esbulhando a Instituição da Presidência da República e usurpando o respectivo cargo, composta por quadrilhas na Câmara dos Deputados, Senado Federal e Supremo Tribunal Federal; as quais consolidaram suas qualificações imputáveis com o “impeachment da Dilma” e a “denúncia com duplicidade de foro contra Temer.” E não havendo mandato, falece vigência ao art. 80 da Constituição e disso emerge o povo no exercício direto do poder –que é a mesma coisa de poder constituinte- na auto defesa da Constituição e legítima defesa social, política, econômica e histórica da nação, preenchendo a vacância na Instituição da Presidência da República com o cidadão que resulta à missão na INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO.

7. O DESTRAVAMENTO DA JUSTIÇA.


     O Poder Judiciário se transformou no paquiderme promotor, cultivador e consolidador do “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil em 22 Anos” que se transformou na TIRANIA OLIGÁRQUICA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA TERRORISTA CORPORATIVA TRANSNACIONAL DE BANDIDOS e submeteu o Brasil a estado de guerra convulsional terrorista de massacre da nação, roubo do País e destruição da Pátria. O qual, depois da dívida pública é a mais portentosa frente operacional da organização. Seu volume de assalto ao País se divide na caríssima corporação magistral, cuja renúncia à reputação ilibada é provada pela criação do Conselho Nacional de Justiça que, pela respectiva Corregedoria Nacional de Justiça denunciou à nação pelos veredictos proclamatórios da Min. Eliane Calmon, que: “bandidos se escodem atrás da toga e vagabundos se impõe pela intimidação na mercadejação forense de sentença,” e no extraordinário corpo assessorativo que, mesmo com a informatização travou a máquina judiciária, onde estanca a destruição da família, a transformação das escolas públicas em bordeis de iniciação das crianças na prostituição, cafajestismo, vício, vadiagem e marginalidade, a transformação das universidades em antros de tráfico, vício, prostituição e destruição da inteligência da nação, e a desagregação da nação com todos roubando a todos, todos traído a todos e todos sacaneando a todos. E o Poder Judiciário resultou com uma carga demandatária de 117 milhões de encrencas entre 93 milhões de pessoas da população economicamente ativa; o que já não é mais nem fenômeno de um apodrecimento generalizado da civilização, mas um depósito de aborto do “socialismo monetarista de Estado sem economia,” que transformou o crime, o vício, a fome, a doença, o analfabetismo, a covardia, a imoralidade, a irresponsabilidade e a vadiagem em áreas de suprimento de riqueza sem atividade econômica. A qual tem no Poder Judiciário e seu agregados a expressão mais garbosa do banditismo terrorista no poder.
      Isso vai ser desmontado com a colocação da nação no trabalho e a simplificação e rapidez da justiça. Nenhuma demanda durará mais de dois anos para ser liquidada. Para isto, vamos instalar a Magistratura Colegiada. Nenhuma Comarca terá menos de 3 juízes. E as causas terão vida por classificação de distribuição por importância social e valor econômico. E de acordo com essa distribuição, terão apenas um recurso da sentença monocrática para a Colegiado na Comarca. Havendo divergência do colegiado, a demanda poderá subir por recurso para o Tribunal de 2º Instância. E dali, só irão para o STF as causas de manifesta necessidade de ajustamento constitucional. E outras modificações profundas e amplas haverão no tecido e na estrutura da justiça. Porquanto, o progresso não fluirá como o PROJETO AMAZÔNIA exige, com a nação em desagregação social, política e judiciária no grau que o País está sofrendo.


8. O DESTRAVAMENTO DAS BOLSAS.


       Com esta informação estamos dizendo aos empresários, aos investidores e ao público em geral que a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO, deflagrada pela bandidagem terrorista no poder em 2.003 com o “Projeto de Poder do PT de Comunizar o Brasil Em 22 Anos” que escondia a organização de roubo do País, massacre da Nação e destruição da Pátria que devassara todos os países da extinta União Soviética e Cuba, a qual iniciou em 2.005 com as CPIs dos Correios e do Mensalão, que a finalidade da INTERVENÇÃO é a recuperação do ESTADO ECONÔMICO EMPRESARIAL PATRIMONIALISTA tendo por objeto o progresso para qualidade de vida, que vigorou de 1964 a 1985 e foi preservado na Constituição. E, embora a INTERVENÇÃO tenha de restaurar a vocação de liberdade do povo brasileiro, restabelecer o Estado Democrático de Direito, reunificar a nação e reconstruir a soberania do Brasil perante o mundo, ela não é revolucionária, nem política, mas sim, executa o “Ideário da Revolução de 64” que foi inoculado na Constituição que aparelha a nação com o Foro de Soberania no mandato/patentes do Presidente da República, no art. 1º incs. I, II e Parág. único com o art. 3º incs. I/IV, o art. 4º incs. I, II, III, VIII, o art. 5º caput e o art. 84 inc. XIII com o art. 142 da Constituição.
       Então a INTERVENÇÃO não é mais uma briga política entre as oligarquias do poder, acrescentada às 92 “revoluções” de nosso percurso histórico colonialista que se encerra neste ano de 2.017, mas sim, É A REINSTALAÇÃO DO BRASIL NO CANTEIRO DE OBRAS DE CONSTRUÇÃO DA PÁTRIA que lhe deu um crescimento econômico de 41,7% de 1964 a 1985, e resistiu a destruição do País por 32 anos; e, embora com 16,1 milhões de desempregados; a força empresarial desmantelada; excluído do crédito internacional, com uma dívida monstruosa, o País ainda tem base no suporte de infraestrutura construído de 1964 a 1985, para reintegrar a nação ao progresso.
     Com esse objetivo, inicia a RETOMADA DO PAÍS com o empreendimento do seu patrimônio natural ainda restante de US$ 243 trilhões, no qual oferece ao mundo, o tipo de lastro de conversão ao Sistema Financeiro Internacional, que se quiser escolher, dentre as muitas riquezas reais que compõe esse volume patrimonial. E com esse assento, destrava as bolsas do Brasil com uma rara oportunidade de bons negócios, vez que, as empresas brasileiras que ainda restam estão com 46% do seu potencial de produção desativado, e por conseguinte, suas ações, inquinadas desse desvalor, representam um cabedal na dinâmica de investimentos do mundo, de multiplicação imediata do dinheiro investido. É um negócio lucrativo tão seguro que a bandidagem terrorista que esconde lá fora o dinheiro roubado do País, está “repatriando” ele pelas bolsas, num volume que já elevou a Bovespa a piques não esperados de negócios.
         Pois, o preenchimento constitucional do estado de vacância na Presidência da República e o expurgo da bandidagem terrorista do poder que segue vigoroso pela Polícia Federal, Ministério Público Federal e Justiça Federal, tem por consequência, a reintegração da força empresarial ao progresso com o dinheiro que ela retém por cautela, visto que não é admissível que, quem tem dinheiro instale investimentos no País governado por ladrões.
       E, suplementando esse dinheiro, o POVO BRASILEIRO NO EXERCÍCIO DIRETO DO PODER NA INSTITUIÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, lançará, ainda este ano, os “Bônus Amazônia” de reemprendimento econômico do Brasil pelo PROJETO AMAZÔNIA – Soberania, Poder e Riqueza pelo caminho da roça, o qual será o maior empreendimento real, objetivo, seguro e estável para investimentos rendosos de longo prazo e de poupança que a humanidade contemporânea conhecerá.
       Porquanto, o POVO BRASILEIRO, percebeu, por primeiro, o final de ciclo da Civilização Conciliatória que produziu o mundo em ebulições de toda a ordem neste momento, demonstrando o seu final, e, bem conduzido por suas Forças Armadas desde 1964, está transpondo o último abismo do seu subdesenvolvimento colonial e saindo em um outro “Primeiro Dia” de uma CIVILIZAÇÃO NOVA, DESMISTIFICADA, REALISTA, fundada na doutrina econômica simples e lacônica: “COM O SUOR DO ROSTO TERÁS O PÃO;” orientada pela doutrina sociológica não menos simples e prática: “AMARÁS O TEU PRÓXIMO COMO A TI MESO,” e projetada pela ideologia universalizadora sem resistência: “SEJAS CULTIVADOR DA TERRA.”
       E, desde 2.005, obediente ao jeito que Deus ensinou a guerra, de: Deus no comando, as Forças Armadas atrás e o Povo na retaguarda, o POVO BRASILEIRO em suas Forças Armadas na Constituição, transformou em caso de polícia o armagedom que a organização transnacional de bandidos havia construído no Brasil, graças ao patriotismo, desassombro e competência da nossa Polícia Federal, e, embora sofrendo um massacre de mais de 5 milhões de pessoas exterminadas, ASSUME O PAÍS EM ESFERA DE PODER CONSTITUINTE preservado na Constituição, sem ódio, sem revanche e sem nada que identifique vocação desagregadora da nação. Mas, com um PROGRAMA ECONÔMICO GOVERNAMENTAL que REUNIFICA A NAÇÃO NO TRABALHO DE PARTILHAMENTO DE IDEAIS E ENRIQUECIMENTO COOPERATIVO DE TODOS OS MEMBROS DA NAÇÃO. Cuja estreia coube ao Exmo. Sr. Gen. de Ex. Antônio Amilton Martins Mourão comandar na “equipe econômica” do Governo Constituinte Interino que tomará posse na Presidência da República a qualquer momento.
      Com esta exposição de Fé, Ciência, Cultura, Lucidez, Hombridade e Patriotismo que identificam o POVO BRASILEIRO, o COMANDO DA INTERVENÇÃO convoca a força empresarial do Brasil a se arregimentar em estado de prontidão para a GUERRA DE INVESTIMENTOS, EXPANSÃO EMPRESARIAL, CONQUISTA DE MERCADOS E PRODUÇÃO DE RIQUEZA PARA QUALIDADE DE VIDA que está

CONSTITUCIONALMENTE DECLARADA.


Blog do COMANDO da INTERVENÇÃO:  WWW.COMANDODAINTERVENCAO.ORG  em todas as línguas dos Países agregados à Intervenção.
Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. – facebook/ celio evangelista – fone: (61) 98238-2415
Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF, 17 de setembro de 2017
COMANDO DA INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO
na representação constitucional do povo
no comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas
Celio Evangelista Ferreira do Nascimento
Gen. de Ex. Antônio Amilton Martins Mourão
- Forças Armadas - Polícia Federal - Polícias Militares - Polícias Civis - Agentes Penitenciários - Ministério Público Federal – Ordem dos Advogados do Brasil – Justiça       Federal
– Associação Comercial e Industrial de Cascavel - ACIC - TV Tarobá.

Baixar anexos:

Última modificação emTerça, 19 Setembro 2017 15:45
(1 Votar)
Ler 1394 vezes

4 comentários

  • Maria da Natividade Schoffer
    Maria da Natividade Schoffer Quarta, 11 Outubro 2017 01:25 Link do comentário

    Em primeiro lugar o povo precisava acordar, saber de tudo, para depois haver de fato a intervenção. #SOSFFAAjáeuapoio
    #lavajatoeuapoio
    Somos todos Brasil.

  • Lina Padilha.
    Lina Padilha. Domingo, 24 Setembro 2017 20:35 Link do comentário

    Boa tarde! Minha cabeça,deu um nó meus penamentos.Sem palavras.Me deparei: 36 Trilhões? Não posso continuar,estou passando mal !Eu almocei, sabe?Quantas. Quantas. Quantas pessoas de bem morrendo! Agora por falta de socorro..Aqui em meu Brasil!!!! Socorro..De Fome. De fome. Pegaram! Trinta e seis Trilhões! Estou passando mal. Meu povo está morrendo de fome: Estão comendo Rato. Meu país é muito rico. Só o Nióbio dá para termos vidas de Reis e Rainhas.98,8% é nosso.Para onde vão este precioso metal? Tem um país chique! vivem com apenas 2,8% ou menos, vivem muito bem! Muito obrigada ! Vou parar por aqui. Meus agradecimentos!!!!!

  • Victor Ashkenazy
    Victor Ashkenazy Quarta, 20 Setembro 2017 17:59 Link do comentário

    A consciência destes fatos nacionais trágicos era tudo o que eu esperava acontecer. Pois desta conscientização soluções podem ser tomadas para o Brasil reerguer-se triunfante.

  • Evelena Paludo
    Evelena Paludo Quarta, 20 Setembro 2017 14:22 Link do comentário

    MARAVILHA. SONHAMOS COM ISSO HÁ MUITOS ANOS.QUEREMOS VER NOSSO PAÍS LIVRE DE BANDIDOS E DO COMUNISMO.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Log in